PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Titular e grupo: Inter busca laterais direitos após uma temporada de testes

Claudio Winck ganhará concorrente no ano que vem mas deve ser o único a seguir - Ricardo Duarte/Inter
Claudio Winck ganhará concorrente no ano que vem mas deve ser o único a seguir Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

24/10/2017 04h00

Foram muitos testes em 2017 e nenhuma certeza. A lateral direita do Inter segue sendo uma posição carente. De olho no mercado, o time vermelho entende que precisa de um novo atleta para tal setor para o ano que vem e já iniciou contatos.

A direção sondou o lateral direito Ruan, de 22 anos, do Boa Esporte. O jogador tem direitos ligados ao Barra da Tijuca-RJ e pode ser comprado. O negócio é entendido como 'de fácil conclusão', independentemente da procura de outros clubes de Série A.

Mas não será Ruam o titular no ano que vem, já que a meta é ter um atleta que possa assumir a função sem deixar dúvidas. E a lista de opções não é muito grande, segundo apurou o UOL Esporte.

Tudo porque em 2017 muitos testes foram feitos e ninguém conseguiu provar que pode ser o lateral direito no regresso à Série A, prestes a ser confirmado. Desta forma, o Inter entende que precisa povoar o setor. Entre os atualmente no grupo, o único garantido no elenco em 2018 é Claudio Winck, que vai ganhar a companhia de mais um reforço. 

William não quis renovar e foi vendido

William ficou afastado do Inter na pré-temporada - Divulgação/Internacional - Divulgação/Internacional
Imagem: Divulgação/Internacional

O primeiro a ser testado na função foi William. Depois de sair 'ileso' da temporada passada, o jovem de 21 anos campeão olímpico com a seleção brasileira preferiu deixar o clube. Não aceitou repetidas propostas de renovação, entrou em litígio com a direção, foi afastado, reintegrado e deixou o Colorado em julho. Pela má relação e a falta de bons jogos neste ano, não deixou saudades na torcida.

Alemão, o substituto, não agradou

Lateral direito Alemão agradece apoio da torcida depois de voltar a jogar no Inter - Ricardo Duarte/Inter - Ricardo Duarte/Inter
Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Alemão passou muito tempo lesionado. Contratado depois de bons jogos pelo Botafogo em 2016, o jogador sofreu com um edema ósseo no pé direito, esteve fora durante longos meses e quando atuou não conseguiu se firmar. Nas chances que teve, feita a ressalva da falta de ritmo de jogo, não conseguiu mostrar o suficiente para dar alguma certeza sobre o aproveitamento no ano que vem.

Claudio Winck arrancou espaço na equipe

Claudio Winck marcou o segundo gol do Inter contra o Guarani, no sábado - Ricardo Duarte/Inter - Ricardo Duarte/Inter
Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Claudio Winck começou o ano na lista dos atletas para serem negociados. De volta da Chapecoense, estava relegado ao time Sub-23. Mas por lá mostrou serviço, virou goleador e remou contra o ostracismo. 'Arrancou' espaço no time e virou titular. Irá terminar a temporada como dono na da lateral, mas ainda assim não marcou o suficiente seu lugar a ponto de fazer o comando do clube esquecer contratações. Renovou contrato e é considerado importante para o elenco, mas terá um concorrente à altura até como incentivo para crescer.

Entre novatos e improvisações, nada saiu

Edenílson estreou pelo Inter contra o Cruzeiro-RS, na última quinta-feira - Ricardo Duarte/Inter - Ricardo Duarte/Inter
Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Além destes, muitos jogadores foram testados na lateral. Edenílson, Fabinho e Danilo Silva atuaram de forma improvisada. E sofreram as óbvias dificuldades de quem não é natural do setor. Tanto que as alterações por ali deixaram os planos rapidamente. E Junio, que foi firmado no elenco principal depois da disputa da Copa São Paulo deste ano, ainda mostrou-se insuficiente para ter oportunidade por ali. Tanto que não deve ser aproveitado no ano que vem.
 

Futebol