PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Agenda no exterior impediu acerto de Parreira para comandar futebol do Flu

Parreira segue vinculado ao clube do coração, mas não pôde aceitar convite do Flu - Mailson Santana/Fluminense F.C
Parreira segue vinculado ao clube do coração, mas não pôde aceitar convite do Flu Imagem: Mailson Santana/Fluminense F.C

Pedro Ivo Almeida e Vanderlei Lima

Do UOL, no Rio de Janeiro

19/10/2017 04h00

Convidado a assumir a vice-presidência de futebol do Fluminense, Carlos Alberto Parreira admite que o convite do clube do coração foi sedutor, mas disse que a impossibilidade de estar presente no dia a dia pesou em sua recusa.

Após a saída de Fernando Veiga, que ocupava o cargo e saiu por conta de um áudio vazado no qual expôs diversos problemas do clube, o presidente Pedro Abad se empenhou pessoalmente em convencer o tetracampeão. Foram dois encontros, conversas, mas o acordo não saiu.

“Me sinto muito honrado, ser vice-presidente de futebol de um clube como o Fluminense seria maravilhoso. No entanto, após 47 anos de experiência nessa área, sei como algumas coisas funcionam. É preciso estar perto, todo dia, sempre ali, acompanhando tudo. E eu não teria como fazer isso neste momento. Não é que eu não quisesse, eu realmente não tive como aceitar.", disse Parreira a UOL Esporte.

Com a agenda apertada por conta de compromissos profissionais, Parreira ressaltou que antes do convite já tinha se comprometido com outras coisas, o que foi decisivo para o seu "não". Nem mesmo a insistência de Marcus Vinicius Freire, CEO e amigo do ex-técnico, foi capaz de fazer com que mudasse de idéia.

"Tenho uma viagem de negócios de 15 dias para os Estados Unidos no próximo mês, e outra de mais de 40 dias para o exterior no início de 2018, além de outros compromissos já marcados. Eles queriam que eu estivesse lá, pudesse dar conselhos, orientasse, ajudasse. Mas é preciso estar presente e conhecer bem as coisas para fazer isso. De longe não dá”, disse Parreira.

Apesar desta recusa ao cargo, ele segue vinculado ao clube, já que recentemente tornou-se um consultor informal para ajudar a implementar novos métodos de treino nas categorias de base. Uma ida periódica até Xerém, local do CT da base tricolor, será rotina para ele. Sem um escolhido, Abad segue acumulando as duas funções.

Após o jogo diante do São Paulo, o Flu volta aos treinos às 16h desta quinta-feira. Abel terá mais alguns dias para ajustar a equipe até a partida diante da Chapecoense, domingo, às 19h, na Arena Condá.

Futebol