PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Coutinho supera semana triste e alivia Tite com gol e protagonismo

Marinho Saldanha e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Porto Alegre (RS)

01/09/2017 04h00Atualizada em 01/09/2017 12h48

Classificação e Jogos

“É claro que afeta”, disse Tite, categoricamente, ao comentar a situação de Philippe Coutinho na seleção brasileira em meio ao impasse sobre seu futuro no futebol europeu. Nos corredores, era grande a preocupação com o jogador. Cabisbaixo e calado, o meia do Liverpool era classificado como triste por companheiros e estafe da seleção brasileira.

Em campo, treinava normalmente e tentava interagir com os outros atletas. Coutinho, no entanto, estava longe de ser, como de costume, o parceiro extrovertido de nomes como Neymar e Gabriel Jesus.

Os contatos frequentes com familiares e representantes na Europa tiravam parte do foco do camisa 11 da seleção brasileira. Tite e comissão técnica se preocupavam com o titular da equipe.

Pouco mais de 30 minutos, no entanto, foi tempo suficiente para mudar o panorama de aflição. Se a defesa do Equador se mostrava sólida, Philippe Coutinho foi a peça que faltava para furar a retranca. Se o clima era de apreensão nos corredores e vestiários, o golaço do meia tratou de aliviar a tensão.

O jogador que recebeu propostas do Barcelona para deixar o Liverpool, mas teve todas elas negadas pelo clube inglês, decidiu a partida da última quinta-feira (31). Entrou na vaga de Renato Augusto e atuou pelo meio, como Tite gosta, “destravando” o pouco inspirado sistema ofensivo brasileiro diante do Equador. Na zona mista após a partida, não quis responder aos questionamentos da imprensa. 

Mas Neymar, um de seus melhores amigos, deu o tom da semana de aflição. “Infelizmente ao invés de ser um momento de felicidade para ele [Coutinho], para a família, está sendo um momento de angústia, decepção e tristeza. Gosto de ver ele feliz, porque além de companheiro de equipe, é um amigo que eu tenho de longa data. Ele foi recompensado com um gol hoje, foi a alegria dele e a nossa também”, comentou o craque do PSG.

Se por um lado aliviou a preocupação de Tite, Coutinho agora coloca uma dúvida na cabeça do treinador: mantém a escalação do jogo na Arena do Grêmio ou lança mão do meia desde o início no duelo da próxima terça-feira (5), contra a Colômbia, fora de casa?

A resposta só deverá aparecer nos treinos do fim de semana, em Manaus, na “escala” que a seleção fará entre Porto Alegre e Barranquilla. A equipe chega à Colômbia na noite de domingo. O grupo treina no Estádio Metropolitano na segunda e encara os donos da casa no dia seguinte. Agora sem maiores tristezas ou apreensões. 

Futebol