PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Pato dá esperança, mas Vasco diminui empolgação sobre Luis Fabiano

Divulgação
Imagem: Divulgação

Gustavo Franceschini e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio e em São Paulo

28/01/2017 04h00

Depois de dar a contratação de Luis Fabiano como quase certa, o Vasco diminuiu sua empolgação com relação ao negócio. O atacante ainda espera que o Tianjin Quanjin decida se irá mantê-lo, e a demora na definição frustra os dirigentes cruzmaltinos. Embora haja esperança pelo avanço das conversas do clube chinês com Alexandre Pato, os cartolas cariocas não estão mais convencidos de que o ex-são-paulino terminará a novela em São Januário com um final feliz.

A situação já se arrasta há semanas. Luis Fabiano foi um dos destaques do Tianjin Quanjin na última temporada e tem mais um ano de contrato, mas não sabe se permanecerá no clube. Caso seja liberado para voltar ao Brasil, o atacante faz questão de receber o que lhe cabe em contrato, o que ajuda a explicar a demora na definição dos chineses.

Alexandre Pato - Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images - Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images
Mesmo se Pato for para China, não é certo que Luis Fabiano será liberado
Imagem: Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images

Treinado pelo ex-zagueiro italiano Fabio Cannavaro, o Tianjin investiu no belga Alex Witsel para o meio-campo e deseja um nome de peso também no ataque. Por isso, negocia com Alexandre Pato, que foi liberado pelo Villarreal e está em Catania, na Itália, onde os chineses fazem pré-temporada, para assinar a transferência.

A ida de Pato ao Tianjin pode ser um obstáculo para Luis Fabiano, já que o novo regulamento do Campeonato Chinês só permite que três estrangeiros estejam em campo ao mesmo tempo - cada time pode ter até cinco no elenco. Além de Pato, o Tianjin ainda teria Geuvânio, ex-Santos, e Witsel, o que deixaria um deles sempre fora das partidas.

Em um cenário natural, a ida de Pato seria a notícia que faltava para carimbar a saída de Luis Fabiano da equipe e liberar uma vaga de estrangeiro. No entanto, nem mesmo o Vasco vê esse desdobramento como algo fácil. Antes otimista, o clube de São Januário agora adota a cautela.

As quase duas semanas de espera pela sonhada rescisão diminuíram a empolgação dos cruzmaltinos. "Ele tem contrato, os chineses não são fáceis. Não conseguimos prever algo concreto", disse um dirigente da cúpula vascaina.

Futebol