Topo

Futebol


Brasileiro pioneiro na China ganhava por ano o que Tevez embolsará em 1 dia

Marcelo Marmelo integrou a primeira leva de brasileiros no futebol da China, nos anos 90 - Arquivo pessoal
Marcelo Marmelo integrou a primeira leva de brasileiros no futebol da China, nos anos 90 Imagem: Arquivo pessoal

Bruno Freitas

Do UOL, em São Paulo

04/01/2017 06h00

Hoje em dia, os milhões oferecidos pelos times chineses ajudam a convencer craques a encarar o desconhecido no ascendente futebol local. A promessa de bolso cheio é o principal argumento para atrair nomes como Tevez e Hulk a um país de cultura tão diferente e a uma liga ainda sem projeção internacional. Mas, houve uma época em que a aventura chinesa era movida a apenas alguns milhares de dólares. Eram tempos de desbravadores, como Marcelo Marmelo da Silva.

O meia-atacante Marmelo fez parte da primeira leva de brasileiros a jogar no futebol da China, em 1995, numa época de abertura à profissionalização. O antigo jogador do Bonsucesso, clube do Rio de Janeiro, permaneceu oito temporadas no Sichuan Quanxing e conseguia lucrar até US$ 100 mil por ano, em caso de êxito esportivo e consequentes bonificações.

Mas, duas décadas depois, as cifras são bem diferentes. Nos últimos dias de 2016, o argentino Carlos Tevez acertou contrato para defender o Shangai Greenland Shenhua, onde ganhará cerca de R$ 260 milhões em um contrato de duas temporadas. Desta forma, o ídolo do Boca Juniors se torna o jogador mais bem pago do mundo. Para efeito de comparação, em uma conta simples e arredondada, Carlitos embolsará o antigo salário anual de Marmelo em apenas 24 horas.

Aos 44 anos, Marmelo hoje leva uma vida tranquila em Cabo Frio. Distante do futebol, o ex-jogador revela orgulho de ter participado da primeira incursão brasileira no mercado chinês.

"Não me sinto enciumado. Fico até feliz, porque vejo que o tempo que a gente ficou lá deu resultado. Levaram a gente como uma experiência, para ver se jogadores brasileiros conseguiam se adaptar, pela distância e pela cultura. Antes levavam só jogadores de países mais próximos, como a Rússia. Como dizem, a gente abriu as portas para brasileiros e até para outros estrangeiros", afirmou Marcelo Marmelo em entrevista ao UOL Esporte.

"Toda hora vem um amigo e fala: ‘se fosse hoje, como é que você estaria?’. Eu falo que cada um está na sua geração. Eles estão desfrutando o deles. Eu não esquento a cabeça", acrescentou.

Chineses foram atrás de Jairzinho e encontraram Marmelo

Marmelo interessou aos chineses quando um olheiro do país visitou o Rio de Janeiro, à procura de bons nomes para reforçar o Sichuan Quanxing, em 1995. Atraído pela fama de Jairzinho o estrangeiro foi ao Bonsucesso, onde o herói da Copa de 70 trabalhava como treinador. No modesto clube carioca o visitante acabou recrutando o meia-atacante, além do zagueiro Fabiano e do meia Marcos.

Marcelo Marmelo (esq.) ao lado dos colegas de time na China, Marcos e Fabiano - Arquivo pessoal
Marcelo Marmelo (esq.) ao lado dos colegas de time na China, Marcos e Fabiano
Imagem: Arquivo pessoal

Inicialmente o brasileiro viajou à China para jogar apenas quatro meses. No entanto, conseguiu se adaptar e foi permanecendo.

"Não tinha noção de como seria. Nem imaginava que tinha futebol na China. Mas o dinheiro era bom, e a gente decidiu ficar", relatou. "A gente viu que a estrutura prometia e acabamos gostando. O estádio ficava cheio, com gente que amava o futebol, como nós, brasileiros. E com gente chamando o nosso nome", contou.

O trio do Bonsucesso acabou abrindo caminho para nomes mais conhecidos que atuavam no futebol brasileiro, como o ponta Edu Lima (ex-Guarani e Flamengo) e o sérvio Petkovic. No entanto, após a estreia da China em Copas do Mundo, em 2002, o país viveu uma crise no esporte, em razão de um escândalo de manipulação de resultados. Assim, a primeira onda de estrangeiros nos times locais acabou arrefecida. Mesmo assim, Marmelo aproveitou ao máximo a experiência como um atleta de destaque no país.  

"A gente não podia sair na rua que era abordado. Pediam para tirar foto, pediam autógrafo. A gente não estava acostumado com isso, jogava em time pequeno no Brasil. Claro que era uma coisa que a gente almejava. Inicialmente ficavam só olhando quando a gente ia a restaurantes. Mas quando o primeiro levantava já começava aquele tumulto. A gente até precisava sair do local, por causa da aglomeração", descreveu, sobre a notoriedade na Ásia.

Os "chineses" no top 20 dos mais bem pagos do mundo

Divulgação
Imagem: Divulgação

Os clubes da Super Liga chinesa gastaram mais de 400 milhões de euros na compra de jogadores em 2016, reflexo do desejo do governo local em transformar o país em uma potência do futebol até 2050. Atualmente, seis dos 20 atletas mais bem pagos do mundo na atualidade atuam por lá.

1. Carlos Tevez - Shangai Shenhua
R$ 2,4 milhões por semana
(é agora o jogador mais bem pago do planeta)

2. Oscar - Shangai SIPG
R$ 1,6 milhão por semana

6. Hulk - Shangai SIPG
R$ 1,2 milhão por semana 

8. Graziano Pelle - Shandong Luneng
R$ 1,1 milhão por semana
(é o jogador italiano mais bem pago da história)

15. Asamoah Gyan - Shangai SIPG
R$ 913 mil por semana

16. Ezequiel Lavezzi - Hebei Fortune
R$ 884 mil por semana 

Mais Futebol