PUBLICIDADE
Topo

Copa 2018

Seleção do Peru deixa eventual indulto a Guerrero 'nas mãos de Deus'

Atacante se reunirá nesta terça-feira com o presidente da Fifa para permitir suspensão de punição - Mariana Bazo/Reuters
Atacante se reunirá nesta terça-feira com o presidente da Fifa para permitir suspensão de punição Imagem: Mariana Bazo/Reuters

Da EFE, em Lima (Peru)

21/05/2018 19h36

Classificação e Jogos

A seleção peruana deixou "nas mãos de Deus" o eventual indulto para que o atacante Paolo Guerrero possa disputar a Copa do Mundo, afirmou nesta segunda-feira o lateral-direito Luis Advíncula.

Confira a tabela completa e o calendário de jogos
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
DOC: a Rússia Gay que não pode sair do armário

"Que Deus decida o que vai acontecer", acrescentou Advíncula, que pediu aos torcedores para que rezem por uma autorização que permita a participação de Guerrero no torneio.

O camisa 9 do Flamengo e da seleção peruana se reunirá na terça-feira com o presidente da Fifa, Gianni Infantino, para solicitar uma suspensão cautelar da condenação de 14 meses por doping.

"Se houver um pingo de esperança, todos vamos nos ater a isso. Tomara que esta reunião com o presidente da Fifa seja positiva e que ele possa estar na Rússia. É o que todo o Peru quer", expressou.

Após o treino desta segunda-feira, Advíncula reconheceu que "obviamente há ansiedade" entre os jogadores convocados pela seleção, mas que a situação será administrada com a maior tranquilidade possível.

O meia Paolo Hurtado contou que todos estão à espera de "que se solucione o problema". "Todos queremos isso, para que as coisas vão bem, é um grupo muito forte e preparado para tudo", analisou.

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) suspendeu Guerrero por 14 meses após o resultado positivo do jogador em um exame antidoping realizado no dia 5 de outubro do ano passado. O atacante, que alega inocência, busca uma permissão extraordinário para estar na Copa.

Foi encontrado no exame a substância proibida benzoilecgonina, metabólito da coca ou da cocaína. A defesa do jogador argumenta que o doping foi acidental, mediante a ingestão de um chá, e que a substância também não melhorava o rendimento.

No treino desta segunda-feira, em Lima, o técnico Ricardo Gareca trabalhou com 20 jogadores. Andy Polo, Édison Flores e Miguel Trauco serão integrados aos treinos ao longo da semana. O atacante Raúl Ruidiaz se exercitou na academia, enquanto os demais companheiros foram ao campo.

A seleção peruana enfrentará a Escócia no dia 29 de maio, em amistoso que marcará a despedida da torcida local para a equipe que viajará à Rússia.

Copa 2018