PUBLICIDADE
Topo

Figurinhas da Copa


'Álbum de ouro' da Copa 2018 só existe em um país e tem figurinhas inéditas

Divulgação
Imagem: Divulgação

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

19/04/2018 04h00

Classificação e Jogos

Comunidades de colecionadores de figurinhas ficaram em polvorosa desde o fim de março. O motivo? As imagens de um “álbum de ouro” da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Você já viu?

Se não viu, o UOL Esporte explica para você: trata-se da Gold Edition (ou, em português, “edição ouro”) da coleção da Copa de 2018. E embora os dois livros ilustrados sejam bastante semelhantes, trazem diferenças suficientes para despertar o interesse de fãs do Brasil e do resto do mundo.

Panini/Divulgação
Imagem: Panini/Divulgação
O álbum dourado é uma iniciativa da Panini (editoria oficial da coleção) exclusiva para o mercado da Suíça, trazendo inclusive o mapa do país na capa. A exemplo da versão tradicional (de capa azul), também tem 682 figurinhas (da 00 à 681), obedecendo a disponibilidade da coleção do resto do mundo – inclusive os registros lendários de campeões entre os números 672 e 681.

As figurinhas, porém, são pouco diferentes – a começar pelos pacotinhos, envelopados em papel dourado. Cada cromo é impresso em papel mais espesso, de 90 g/m² (contra 65 g/m² da versão clássica) e tem margens douradas (ao invés de brancas). Cada envelope com cinco figurinhas custa 1,1 franco suíço (cerca de R$ 3,90).

A maior exclusividade do álbum dourado fica por conta das últimas páginas. Além de trazer fotos (já impressas) das eliminatórias continentais ao redor do mundo, o fim do álbum tem espaço para figurinhas de 12 jogadores considerados lendários – um de cada Copa do Mundo desde 1970. Os cromos ali não fazem parte da coleção oficial e podem ser conseguidas apenas na compra de uma marca de refrigerantes parceira da Fifa.

Quem está ali? A lista tem Pelé (campeão pelo Brasil em 1970), Franz Beckenbauer (vencedor pela então Alemanha Ocidental em 1974), Mario Kempes (que levantou a taça de 1978 pela Argentina), Karl-Heinz Rummenigge (vice-campeão em 1982 pela Alemanha Ocidental), Diego Maradona (herói argentino no título de 1986), Paolo Maldini (terceiro colocado em 1990 com a Itália), Carlos Valderrama (eliminado na fase de grupos com a Colômbia em 1994), Michael Owen (revelação da Inglaterra em 1998), Rivaldo (destaque do Brasil no título de 2002), Fabio Cannavaro (campeão com a Itália em 2006), Carles Puyol (campeão com a Espanha em 2010) e Miroslav Klose (maior artilheiros das Copas do Mundo e campeão com a Alemanha em 2014).

O UOL Esporte procurou a Panini Brasil para saber se há previsão de venda do álbum dourado em outros países – inclusive no próprio mercado brasileiro – em 2018 ou em outras edições da Copa do Mundo. A editora, porém, afirmou não possuir informações a respeito do livro ilustrado, uma vez que ele é de responsabilidade da filial suíça.