PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Palmeiras se livra de Felipe Melo e Flamengo mantém Diego

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

05/12/2021 12h59Atualizada em 05/12/2021 18h45

É difícil pensar no futuro e tomar decisões necessárias quando o time acabou de ser campeão. É difícil planejar o futuro quando o presente é de glórias.

O Palmeiras saiu na frente. Bicampeão consecutivo da Libertadores, planeja o tri, que lhe renderia o inédito tetracampeonato entre clubes brasileiros. Não havia lugar para Felipe Melo jogador. E nem para o personagem que promete e cumpre agredir adversários e que fala coisas inteligíveis relacionadas às trombetas de Jericó.

E a bola? O Palmeiras tem revelado grandes jogadores. Danilo tomou conta da posição. Patrick de Paula e Gabriel Menino precisam de espaço para lutar por ela. E Felipe Melo era um nome a mais a ser superado. Agora, o caminho é deles.

Se Felipe segurava a ascensão de jovens talentosos, Jaílson não cumpria a missão de ser uma sombra para Wéverton. Bem, na verdade, ninguém consegue. O cara é muito bom e pode até ser titular na Copa.

Então, para que manter um jogador veterano que atua poucas vezes no ano. E que, quando entra, já não é certeza de nada? Muito melhor apostar em um goleiro jovem, revelado no clube ou não.

Enfim, o Palmeiras está com bom planejamento. E Leila nem meteu a mão no bolso. Ou bolsa.

E o Flamengo? Parece relutante para uma renovação. Diego, por exemplo. Não é mais o armador talentoso de antes. Não chega mais perto da área. E, recuado, para dar qualidade à saída de bola, nada tem acrescentado.

Filipe Luiz também não tem sido o jogador constante de antes. Aquele reserva eterno de Marcelo e que não conseguiu ser titular por muito tempo, quando Tite se livrou do ex-titular da seleção.

O Flamengo precisa se mexer.

O Palmeiras saiu na frente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL