PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Ceni avisa e Casares precisa explicar o tamanho do buraco tricolor

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

29/11/2021 04h00

Rogério Ceni levantou a bola. Após o empate contra o Furacão, disse que a situação do clube é difícil e que continuará difícil nos próximos cinco anos, independentemente de quem seja o treinador ou de qual seja a diretoria.

Como não há mais entrevista presencial - as perguntas são gravadas anteriormente - o assunto ficou no ar

Júlio Casares, o presidente, precisa explicar o que Rogério deixou implícito. Convocar uma entrevista coletiva de verdade e abrir as contas do clube. Não para os jornalistas - somos apenas intermediários - mas para os milhões de torcedores do São Paulo.

Deixar claro quais os sonhos possíveis. Que tipo de jogador pode ser contratado. Que tipo de campeonato será possível vencer. Qual o planejamento.

É preciso praticar a verdadeira transparência. Não lorotas do tipo maior contrato de patrocínio da história.

E, principalmente - minha pergunta seria assim - se está mais comprometido com a sobrevivência do clube enquanto instituição competitiva e saudável financeiramente ou com a mudança de estatuto que permitirá reeleição.

A torcida do São Paulo ajuda o time nas horas difíceis. Lota o estádio para evitar rebaixamento. Ela adoraria ajudar também fora de campo.

Ou, no mínimo, ser informada sobre a situação financeira do seu grande amor.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL