PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Fernando Diniz merece uma análise justa, longe da seita e dos haters

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

22/10/2021 12h51

Fernando Diniz está fazendo um ótimo trabalho no Vasco. O time pegou o elevador e o acesso, antes uma quimera, passou a ser uma possibilidade concreta.

É o bastante para que passasse a ser tratado, por seus adoradores, como um dos maiores treinadores do Brasil.

Se o acesso não vier, por motivo banal ou não, na última rodada, os seus haters sairão da troca e vão tratá-lo novamente como o pior de todos.

Sua passagem pelo São Paulo é um exemplo. Os dinizistas ainda não se confirmam com a demissão e ficam comparando seu trabalho com o de Crespo, que também foi demitido.

As eliminações são minimizadas. Ah, a altitude de Juliana, ah, o branco contra o Mirassol, ah, que culpa ele tem da desatenção contra o Lanús, ah, a degringolada no Brasileirão foi culpa da diretoria, ah, se você não gosta da saidinha, você é um neanderthal futebolístico, um cro magnon da bola.

E os antidinizistas não enxergam nada de bom em seu trabalho?

A contratação de Luciano foi ótima. E quantos gols o Brenner fez? E quantos milhões o Brenner rendeu? E Gabriel Sara? Leo Pelé virou um bom zagueiro nas mãos de quem?

Eu também, faço minha culpa, não vi as qualidades dele. Juquita, meu amigo, me abriu os olhos. Quem fez melhor trabalho, Diniz ou Cuca? Quem é mais criticado?

Caio Henrique, o volante que virou lateral e que está brilhando na Europa.

Riquelme, o garoto de ouro do Vasco.

Lucão, que está apressando a aposentadoria de Vanderlei.

São casos de sucesso de Diniz.

Não é pouco, mas serão muito mais valorizados com um título. Ou com o acesso do Vasco.

Um êxito concreto. Palpável. Histórico. É o que falta para Diniz ter um julgamento menos passional.

Tomara que chegue esse ano.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL