PUBLICIDADE
Topo

Menon


São Paulo precisa conter despesas e besteiras. Merece Oscar do desperdício

Raí posa com o atacante Gonzalo Carneiro - Érico Leonan/saopaulofc.net
Raí posa com o atacante Gonzalo Carneiro Imagem: Érico Leonan/saopaulofc.net
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

11/02/2020 14h56

A melhor coisa que o São Paulo fez em 2020 foi fechar a torneira do dinheiro destinado a contratações. Primeiramente, pela grave situação financeira que o clube vive. Contenção de despesas. E, depois, por uma questão de contenção de besteiras. Sim, o São Paulo contrata muito mal.

Basta seguir o fio do novelo: vende David Neres, contrata Pratto, vende Pratto, contrata Diego Souza, que é dado de graça só Botafogo.

O dinheiro entrou, saiu, entrou, saiu, acabou e não deixou nenhum legado técnico.

Foram erros e erros que poderiam ter sido evitados. Jogadores ruins, jogadores caros e jogadores contundidos.

Vejamos o gol. Sai Rogério Ceni e Denis e assume. Havia dúvidas se daria certo. Não deu. Veio Sidão. Certeza que daria errado. Deu. Veio Jean, por 6

milhões. Não deu certo. Veio Volpi, a melhor contratação dos últimos anos. Seu reserva é Lucas Perri, que sempre esteve no clube. Tantos erros para se chegar a um acerto. Dois anos e muito dinheiro perdidos.

E o trio trava língua? Pratto, Pato e Pablo.

O argentino foi contratado para ser o líder do time. O condutor de uma nova era. Uma coincidência terrível o tirou do elenco. Na mesma semana em que se percebeu um pai ausente, recebeu uma oferta do River Plate. Bateu asas e voou. Talvez se a oferta fosse do ALL Boys, a saudade da filha fosse menor e ele ficasse por aqui, tão perto de Buenos Aires, onde vive a garota.

Pablo, a revelação do ano passado, veio por um dinheirão. Mas, qual era seu currículo antes do Furacão? Figueirense, Osaka, Real Madrid B? Bem, aí está. Tem 27 anos e 62 gols. E presença de área muito pequena.

Pato também. Está mais para o cara do último passe. Tem muito mais recursos técnicos que Pablo. E uma pergunta? O que ele fez na vida depois de sua primeira passagem pelo São Paulo? Chelsea, Villareal, Tianjin, Tianhai. Obrigado, não dá.

Há muitos e muitos erros. Erros caros e baratos. Sim, se Pablo, Pato e Pratto não resolvem, Morato, Marcinho e Ítalo muito menos.

Sidão; Buffarini, Aderllan, Douglas e Edimar; Jucilei e Farias; Marcinho, Nenê, Pratto, Pablo e Morato.

Pablo ainda tem salvação? Coloca Diego Souza? Diego Souza fez gols? coloca o Trellez? Trellez terá nova chance? Coloca Wellington Nem. Ou Biro Biro. Ambos em más condições físicas. E Régis. E Gonzalo Carneiro.

Opa, temos um time reserva de contratações ruins.

Jean, Régis, Junior Tavares e Calazans; Nem, Biro Biro e Diego Souza; Pato, Valdivia, Carneiro e Kelvin.

Opa, o time está desarrumado? E quantas vezes o time titular também entra em campo batendo cabeça?

Meu Deus, esqueci o Neílton.

É tão difícil contratar assim? É impossível repetir acertos como Bruno Alves e Calleri? Arboleda?

O índice de acertos é baixo, apesar de Daniel Alves. Então, é melhor deixar com está. Pagar as dívidas. Rezar para os atacantes aprenderem a chutar. Contratar um ou outro. E planejar 2021.

Menon