PUBLICIDADE
Topo

Menon


Palmeiras-20 domina, mas não vence o São Paulo-19

Gabriel Menino disputa lance com Hernanes - Marcello Zambrana/AGIF
Gabriel Menino disputa lance com Hernanes Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

26/01/2020 18h15

Meu amigo Guido Sanick, pai da Cecília, notou um Palmeiras de técnico novo, mais bem postado em campo do que o São Paulo, que tem Diniz no comando, desde setembro.

Insuficiente para vencer o clássico. O time de Luxemburgo foi melhor, poderia vencer, mas o empate não foi nenhuma maluquice, nenhuma injustiça.

O Guido está certo. O Palmeiras foi melhor em dois aspectos.

1) Tinha uma transição muito mais rápida e vertical, principalmente com Ramires.

2) Tinha profundidade com Dudu. Poderia ter com Verón, mas o garoto não rendeu.

E o São Paulo. Tinha Helinho para a transição, mas ele, que jogou bem contra o Água Santa, foi mal.

Fernando Diniz trocou Helinho por Liziero. Melhorou a transição, mas a profundidade, não.

Ela só chegou com Éverton no lugar de Hernanes. Mesmo assim, foi pouco.

Assim, o Palmeiras foi melhor praticamente o tempo todo. Luxemburgo ainda tentou com Zé Rafael e Bigode, mas o gol não saiu.

O Palmeiras-20 parece um time montado. Precisa melhorar tecnicamente. O São Paulo, não. Mostrou os mesmos dois problemas do ano passado. E a mesma virtude, um sistema defensivo muito forte, que segurou a bronca, uma vez mais.

Menon