PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Mauro Cezar Pereira

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Na Itália e na Inglaterra, o azar dos fanfarrões antipontos corridos

Jogadores do Manchester City celebram conquista do Campeonato Inglês: cinco temporadas, quatro taças - Divulgação/Manchester City
Jogadores do Manchester City celebram conquista do Campeonato Inglês: cinco temporadas, quatro taças Imagem: Divulgação/Manchester City
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

22/05/2022 16h05

Existem inúmeras competições com fases eliminatórias ou completamente em mata-mata. Estaduais, Supercopa, Recopa, Copa do Brasil, Copa Libertadores, Copa Sul-americana, Copa do Nordeste... Mas ainda há quem tente fabricar polêmicas atacando o formato mais clássico de campeonatos, os pontos corridos.

Quando todos jogam contra todos em ida e volta é que se mede o melhor, sem muitas chances para o imponderável. É prova de resistência, regularidade, requer concentração, mobilização integral, não eventual. Não se escolhe partidas nesse tipo de certame, é preciso remar pela vitória a cada rodada.

Mesmo assim os pontos corridos são criticados, algumas vezes por quem realmente não gosta do formato, o que é um direito, claro. Mas também existem os fanfarrões, aqueles que vira e mexe atacam o modelo para ganhar engajamento com a fabricação de polêmicas baratas, ocas, sem sentido.

Essas malas viveram um domingo triste. Primeiro pela maneira como se definiu o campeonato inglês, com o Manchester City virando de maneira estupenda (3 a 2) em cima do Aston Villa quando perdia por 2 a 0. Foi o quarto título do time de Pep Guardiola na Premier League em cinco temporadas.

22.5.22 - Torcedores do Milan invadem campo e abraçam Brahim Diaz - FILIPPO MONTEFORTE/AFP - FILIPPO MONTEFORTE/AFP
Torcida invade campo e abraça Brahim Diaz
Imagem: FILIPPO MONTEFORTE/AFP

Na Itália, o Milan ganhou o scudetto após 11 anos. A rodada final não teve emoção na disputa, pois os rossoneros logo abriram 3 a 0 sobre o Sassuolo, sepultando as chances da Inter, que dependia de um tropeço do rival. Mas como ignorar a caminhada milanista e a festa de uma torcida carente?

O futebol comporta diferentes modelos de disputa, cada um com sua característica, pontos positivos e negativos, como tudo na vida. Mas após esse fim de semana emocionante de futebol, soará mais patético ainda o discurso antipontos corridos dos fanfarrões.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube