PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

Palmeiras x Santos: Conmebol deve aliviar protocolo para final no Maracanã

Marinho e Willian se cumprimentam antes de Santos x Palmeiras pelo Brasileirão 2020 - Fernanda Luz/AGIF
Marinho e Willian se cumprimentam antes de Santos x Palmeiras pelo Brasileirão 2020 Imagem: Fernanda Luz/AGIF
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

14/01/2021 10h59

Depois de atritos por causa do calendário embolado durante a pandemia, Conmebol e CBF parecem ter chegado a consenso em alguns ajustes. Primeiro a confederação brasileira adiou três jogos da Série A marcados para 30 de janeiro, mesmo dia da final única da Libertadores no Maracanã. E agora a entidade sul-americana deve abrir mão da exigência de que os finalistas estejam na sede da decisão 72 horas antes do confronto.

Palmeiras e Santos, que se enfrentarão na finalíssima da Libertadores, têm jogos atrasados do Brasileirão marcados para 27 de janeiro, três dias antes da decisão continental e data na qual já deveriam estar no Rio — o Palmeiras recebe o Vasco, partida ainda da primeira rodada da Série A, enquanto o Santos visita o Atlético-MG pela 28ª rodada.

O protocolo da final da Libertadores exige que as delegações estejam 72 horas antes na cidade sede principalmente para eventos promocionais que a Conmebol e parceiros fazem antes da decisão. Mesmo com a pandemia, e a impossibilidade de reunir grandes públicos, é importante para a entidade essa exclusividade dos clubes, treinando na cidade do jogo e com as marcas de seus patrocinadores mais expostas.

A CBF marcou os dois jogos atrasados antes de Palmeiras e Santos estarem classificados para a final da Libertadores. Mas quando clareou a possibilidade da decisão brasileira, a CBF, sem espaço para manobras no calendário, nem cogitou alterar esses confrontos para não bater com o protocolo da Conmebol.

Já no Paraguai, onde está a sede da confederação sul-americana, havia insatisfação com algumas decisões da entidade brasileira, principalmente com a marcação de partidas para o dia da final e que bateriam com o horário do confronto (17h). Por isso, há alguns dias, dentro da Conmebol a orientação seria exigir que o protocolo de chegada dos finalistas 72 horas antes no Rio fosse cumprido, e que a CBF se virasse.

Isso mudou nos últimos dias quando a CBF adiou de 30 para 31 de janeiro os três jogos antes agendados para a data da finalíssima da Libertadores: Atlético-MG x Fortaleza, Ceará x Athletico e Inter x Bragantino. A Conmebol viu como um bom gesto da CBF e tende a retribuir.

Com uma exceção aberta ao protocolo, Palmeiras e Santos jogariam na quarta (27) à noite e logo na quinta pela manhã viajariam ao Rio, onde treinariam quinta e sexta. Atletas devem gravar chamadas atreladas a patrocinadores da Conmebol nos hotéis e campos de treinamento, para evitar qualquer possibilidade de contágio por Covid-19.

A ida de Palmeiras x Santos à final obrigou a CBF a fazer outras mudanças em seu calendário. As finais da Copa do Brasil, que será entre Grêmio e Palmeiras, passaram de 3 e 10 de fevereiro para 11 e 17 de fevereiro — e muda de novo, para 28 de fevereiro e 7 de março, caso o Palmeiras bata o Santos no Maracanã e vá ao Mundial de Clubes da Fifa, que será disputado no Qatar entre 1º e 11 de fevereiro.

Palmeiras x Botafogo pelo Brasileirão, que seria em 31 de janeiro, passou para 2 de fevereiro e Santos x Corinthians, também dia 31, foi para 17 de fevereiro. As datas de três rodadas inteiras da Série A também foram alteradas: a 34 passou da data-base de 7 de fevereiro para 3 de fevereiro, a 35 da data-base de 13 de fevereiro para 7 de fevereiro e a 36 da data-base de 17 de fevereiro para 13 de fevereiro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.