Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

Em show do Fluminense, o Santos volta a ser caível

Deu dó do Santos.

Era como se um time de meninos enfrentasse outro de adultos, o Fluminense.

Que, diga-se, dá exemplo de ética ao não se poupar embora tenha um Mundial pela frente. Vasco e Bahia agradecem.

Logo de cara Martinelli abriu o marcador e mais para o fim do primeiro tempo foi a vez de Arias ampliar: 2 a 0, que poderia ser três ou quatro caso João Paulo não interviesse com duas grandes defesas.

No segundo tempo o Santos até deu a impressão de que poderia reagir, mas, aos 13 minutos, Cano fez 3 a 0 em jogada fruto não de uma triangulação, mas de uma hexangulização, verdadeira linha de passe, logo depois de ter atingido o travessão santista.

Brioso, o Santos voltou a criar chances de gol, até acertou a trave, mas, além do mais, Fábio estava em nova noite feliz.

Verdade que claramente o Flu tirou o pé, menos Nino, que ainda salvou na linha fatal um gol santista.

O Fluminense parece pronto para o Mundial.

O Santos voltou a ser caível. Uma pena.

Continua após a publicidade

O time sai para enfrentar o Furacão e recebe o Fortaleza em suas duas derradeiras partidas, estando apenas um ponto acima da ZR.

O 3 a 0 exprime o primeiro tempo, não o segundo, que o Santos deveria ter vencido por 2 a 1.

Mas é a diferença de quem chega na frente do gol com a tranquilidade do melhor ano de sua história e a de quem está vivendo um dos piores, com enorme risco de ser mesmo.

Registre-se que a torcida que esteve na Vila Belmiro, onde o Tricolor não vencia havia nove anos, quase 13 mil torcedores, apoiou o time do começo ao fim e mesmo depois do fim,

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes