PUBLICIDADE
Topo

Concentração faz Corinthians reencontrar "grandiosidade" após Dérbi

Siga o UOL Esporte no

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

03/02/2019 04h00

O começo de temporada do Corinthians veio com irregularidade, tropeços em casa para times menores e um desempenho ruim. Fatores que não ajudaram em nada a esquecer o péssimo fim de 2018. Mas bastou um clássico no Campeonato Paulista para que o Timão reerguesse a cabeça e passasse a olhar para frente.

LEIA MAIS:
- Corinthians amplia a vantagem sobre o Palmeiras no Allianz; confira lista
Herói do Dérbi, Avelar diz ver o gol como recompensa e não teme Arana
- Carille pede respeito a Avelar: "Se não tivesse cabeça boa, teria parado"

No último sábado, os alvinegros visitaram o Palmeiras no Allianz Parque e precisaram de apenas sete minutos para abrir o placar. Depois, foi necessário aplicar um jogo de muita garra e comprometimento tático para segurar o resultado. O técnico Fábio Carille, apesar de sonhar em ter um time mais ofensivo, voltou a colocar em prática sua já famosa vocação defensiva e o Corinthians saiu vitorioso por 1 a 0.

"A gente sabe que tem muita coisa a melhorar e evoluir, até por termos perdido em casa. Foi uma resposta para nós mesmos, para o que pretendemos ao longo do ano. Temos condições de cumprir tudo o que o Fábio quer. O nível de concentração foi muito bom, do primeiro ao último minuto. Esse tem de ser o espírito. Todo mundo está entendendo a grandiosidade do Corinthians e o que o torcedor espera ver em campo", destacou o capitão Fagner.

O lateral-direito não foi o único a elogiar a postura corintiana no clássico. Os jogadores deixaram o gramado do estádio palmeirense exaltando o poder de concentração da equipe. Foi assim nas entrevistas do volante Ramiro e do meia Mateus Vital. Do lado rival, sobraram as reclamações pela estratégia de "jogar por uma bola" do Corinthians, como declarou o lateral-esquerdo Diogo Barbosa.

Resgatar a grandiosidade, como mencionou Fagner, era um objetivo claro da diretoria ao contratar Fábio Carille de volta e também ao reforçar o elenco com dez atletas. Hoje, o técnico pode contar com três atacantes de área e faro de gol como Gustavo, maior artilheiro do Brasil em 2018, o consagrado Vagner Love e o argentino Mauro Boselli, de carreira vitoriosa no México.

O poder ofensivo - ou a falta dele - foi um problema recorrente na temporada passada, principalmente após a saída de Carille. O Corinthians deixou o protagonismo de lado, apesar de ainda chegar à final da Copa do Brasil, e se limitou a brigar na parte inferior da tabela no Campeonato Brasileiro. Agora, o caminho está aberto para a volta dos dias melhores.

PVC comenta triunfo do Corinthians no Dérbi: "Mereceu a vitória"

UOL Esporte