PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Willian brilha, mas Messi marca contra Chelsea pela 1ª vez e Barça empata

Hazard - Alastair Grant/AP - Alastair Grant/AP
Imagem: Alastair Grant/AP

Do UOL, em São Paulo

20/02/2018 18h36

Tudo igual no primeiro jogo entre Chelsea e Barcelona. O empate por 1 a 1 contou com o faro decisivo de dois craques: de longe o melhor em campo, o brasileiro Willian marcou para os Blues e colocou duas bolas na trave, mas Messi finalmente fez seu primeiro gol contra o time inglês.

A partida de volta acontece apenas no dia 14 de março, também às 16h45 (de Brasília). Desta vez, o palco do confronto será o Camp Nou, em Barcelona. É importante destacar que os jogos das quartas de final só serão definidos em sorteio no dia 16 - ou seja, ainda não é possível dizer quais são os possíveis adversários de Chelsea ou Barcelona.

Acabou o tabu: Messi x Chelsea é clássico

Messi - Andrew Boyers/Reuters - Andrew Boyers/Reuters
Imagem: Andrew Boyers/Reuters

Foi suado, mas saiu: no seu nono confronto contra o Chelsea, Messi finalmente balançou a rede pela primeira vez. Graças a um erro absurdo na saída de bola do Chelsea, Iniesta pegou a zaga desprevenida, tocou para trás e viu o argentino fuzilar a rede.

Toda vez que Messi ensaiava uma de suas arrancadas, dois ou três marcadores imediatamente surgiam à sua volta e roubavam a bola. O cenário parecia ideal para a chegada de um jogador do Barça como elemento surpresa, papel que Paulinho costuma fazer. Mas isso não aconteceu.

Toda a coletividade do Barcelona construiu uma rivalidade com o Chelsea neste século, mas nenhum atleta tem (ou tinha) tanto problema com os Blues quanto Messi. Antes da partida desta terça-feira, o argentino já tinha enfrentado o clube inglês oito vezes e nunca tinha feito um gol sequer. Até esta terça.

Messi - David Klein/Reuters - David Klein/Reuters
Imagem: David Klein/Reuters

O Chelsea também fez o craque chorar em 2012, quando Messi desperdiçou um pênalti e ainda viu o adversário empatar por 2 a 2. Seis anos antes, já havia dado uma declaração polêmica.

“Há jogadores no Barcelona que odeiam o Chelsea mais que o Real Madrid. Eu nunca pensei que fosse me ouvir dizendo isso. Também nunca pensei que veria algo pior que Boca Juniors x River Plate, ou Brasil x Argentina. Mas é”, disse Messi em 2006, aos 19 anos, ao Sky Sports.

Willian 1 x 0 Paulinho: o melhor do duelo brasileiro

Paulinho Willian - Matthew Childs/Reuters - Matthew Childs/Reuters
Imagem: Matthew Childs/Reuters

Nome do jogo, Willian dificilmente não seria titular do Chelsea, mas o técnico do Barcelona tinha dúvida entre Paulinho e o português André Gomes. Ernesto Valverde acabou optando pelo brasileiro. No embate particular entre os dois ex-corintianos, Willian foi superior e, de longe, o melhor jogador das duas equipes durante toda a partida.

Foi dele o gol que deu uma enorme vantagem ao Chelsea: aos 16 minutos do segundo tempo, recebeu a bola na entrada da área após escanteio, levantou a cabeça e chutou. A bola não foi alta, mas pegou muito efeito no caminho e morreu na rede de Ter Stegen.

Além do golaço e dos bons passes para Hazard, Willian também driblou quatro adversários no caminho até o gol e só parou com falta de Rakitic aos 29 do primeiro tempo. Parece pouco? O brasileiro também carimbou a trave duas vezes.

Willian trave - Eddie Keogh/Reuters - Eddie Keogh/Reuters
Willian carimbou as traves do Barcelona duas vezes; Ter Stegen só observou
Imagem: Eddie Keogh/Reuters

O primeiro chute foi fruto de um passe errado do próprio Paulinho aos 33 do primeiro tempo. A bola acabou nos pés de Hazard que, novamente na esquerda, acionou Willian na entrada da área. O brasileiro acertou a trave esquerda de Ter Stegen. Sete minutos depois, ele aproveitou bobeada de Piqué e fez a bola explodir no outro poste.

Além dos erros defensivos, Paulinho também não fez muito no ataque. Sua melhor chance foi um cabeceio para fora aos 15 da etapa inicial, após cruzamento de Messi, e acabou substituído por Aleix Vidal aos 17 do segundo. Vale lembrar que o zagueiro David Luiz não esteve em campo por lesão, mas acompanhou a partida do camarote.

Barça demorou para ser eficaz

Aos 20 minutos do primeiro tempo, o Barcelona tinha 75% de posse de bola. A questão é que o time de Ernesto Valverde não conseguia transformá-la em chances reais de gol pelo chão – até chegou duas vezes pelo alto na etapa inicial e levou perigo, mas Paulinho e Piqué não acertaram a meta de Courtois. Só Messi resolveria mesmo.

Hazard quer ser astro

Ele tem sido constantemente comparado a Messi e Cristiano Ronaldo. E, por vezes, fez por merecer os elogios nesta terça, embora ainda diga que precisa trabalhar para chegar ao mesmo nível dos melhores do mundo. Além de assustar com um forte chute de primeira aos 42, também levou perigo como cérebro do Chelsea durante o primeiro tempo.

Hazard circulava bem pelos dois lados do ataque, mas encontrou um caminho promissor pela direita da defesa do Barça, defendida por Sergi Roberto. Por ali, recebeu bons passes, chamou a marcação para a corrida e deu boas bolas para Willian, que chegava como elemento surpresa enquanto a zaga se preocupava com o belga.

Coube a ele a missão de ser o único atacante do Chelsea nesta noite. Normalmente, o camisa 10 costuma atuar mais recuado e surgir nas infiltrações, aproveitando as jogadas de pivô de Morata. Nesta terça, no entanto, o espanhol só entrou no segundo tempo.

FICHA TÉCNICA
CHELSEA 1 X 1 BARCELONA

Data e hora: 20 de fevereiro de 2018, às 16h45 (de Brasília)
Local: Stamford Bridge, em Londres (Inglaterra)
Árbitro: Cüneyt Çakir (Turquia)
Auxiliares: Bahattin Duran e Tarik Ongun (ambos da Turquia)
Cartões amarelos: Rudiger, Morata (Chelsea); Rakitic, Luis Suárez, Busquets (Barcelona)
Gols: Willian, aos 16 minutos do segundo tempo (Chelsea); Messi, aos 29 do segundo tempo (Barcelona)

CHELSEA: Courtois; Azpilicueta, Christensen, Rudiger e Moses; Kanté, Fàbregas (Drinkwater), Willian, Marcos Alonso e Pedro (Morata); Hazard
Técnico: Antonio Conte

BARCELONA: Ter Stegen; Sergi Roberto, Piqué, Umtiti e Jordi Alba; Busquets, Paulinho (Aleix Vidal), Rakitic e Iniesta (André Gomes); Messi e Luis Suárez
Técnico: Ernesto Valverde

Esporte