PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Conmebol se antecipa ao Grêmio e abre processo sobre 'caso Gallardo'

Marcos Brindicci/Reuters
Imagem: Marcos Brindicci/Reuters

Jeremias Wernek e Marcel Rizzo

Do UOL, em Porto Alegre e São Paulo

31/10/2018 17h37

A Conmebol abriu processo disciplinar contra o River Plate e Marcelo Gallardo. Nesta quarta-feira (31), antes mesmo de o Grêmio entregar recurso na sede da entidade, a Unidade Disciplinar da confederação identificou que o treinador do clube de Buenos Aires não cumpriu a suspensão imposta e enviou o caso ao Tribunal Disciplinar. A diretoria argentina tem até sexta-feira para se manifestar diante do episódio.

Nesta quinta, a Conmebol deve definir auditor responsável pelo processo.

Um integrante do Tribunal deve ser encarregado de analisar o relatório do jogo, que cita a infração de Gallardo, e também as provas anexadas pela equipe de arbitragem, delegados da partida e Grêmio. O clube gaúcho apresentou recurso pedindo pena severa ao caso.

A Unidade de Disciplina da Conmebol, um órgão que centraliza súmulas e faz repasse de demandas ao Tribunal, que é tratado como braço jurídico independente dentro da entidade.

Ao mesmo tempo, o Grêmio viajou em voo fretado de Porto Alegre até Assunção. Com uma comitiva robusta, o clube gaúcho pediu encontro com a diretoria da Conmebol para apresentar seus argumentos e pedir os pontos do segundo jogo da semifinal da Libertadores. De acordo com a interpretação dos dirigentes gaúchos, o River Plate tirou vantagem da presença irregular de Marcelo Gallardo e, segundo entendimento dos gremistas, a ilicitude do treinador é equivalente a de um jogador suspenso em campo.

Pela manhã, o Grêmio convocou uma reunião de emergência em seu Conselho de Administração e também acionou a CBF. Do Rio de Janeiro, ganhou apoio para obter espaço na agenda da Conmebol e também suporte sobre a demanda. Horas mais tarde, pelo Twitter, o presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, Alejandro Domínguez, comentou o caso ao dizer que o clube gaúcho deveria acionar o Tribunal Disciplinar da entidade.

Entenda o caso

Na segunda-feira à noite, Marcelo Gallardo foi suspenso por uma partida e o River Plate multado em 20 mil dólares (R$ 74,4 mil na cotação atual) por reincidência em atraso para o segundo tempo. No dia seguinte, o treinador assistiu ao jogo contra o Grêmio em uma cabine de imprensa da Arena.

A transmissão do Sportv, contudo, flagrou o uso de um rádio comunicador para contato direto entre Gallardo e a comissão técnica do River. Além disso, o treinador foi ao vestiário visitante no intervalo para passar instruções.

Ao ver a cena, dirigentes do Grêmio denunciaram a entrada do argentino aos funcionários da Conmebol e os mesmos aguardaram para produzir provas. Depois da partida, com a virada e classificação à final, Marcelo Gallardo cometeu outra infração e deu coletiva na zona mista. Antes, o auxiliar Matías Biscay ironizou. "Talvez ele estivesse falando com sua família na Argentina", ao responder sobre o uso do rádio comunicador.

"Talvez eu tenha descumprido uma regra de não poder entrar no vestiário, porque não estava permitido. Eu reconheço e assumo (o erro), mas era o que eu precisava. O que eu sentia que tinha que fazer e não me arrependo", afirmou Gallardo depois do jogo.

O Grêmio quer punição semelhante a aplicada nos casos de Chapecoense e Santos, em 2017 e 2018, respectivamente. A tese do clube gaúcho é que Marcelo Gallardo foi utilizado de forma irregular. Os dirigentes citam os artigos 176 do Regulamento Geral de Competições da Conmebol e artigos 19, 56 e 76 do Regulamento Disciplinar. No mesmo recurso, os gremistas contestam a ação da equipe do árbitro de vídeo da partida em Porto Alegre quando do primeiro gol do River Plate, marcado por Rafael Borré.

Futebol