PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fase maldita e histórico perigoso: as oitavas da Libertadores para o Grêmio

Roger Machado viu antecessores caírem após eliminações nas oitavas da Libertadores - Lucas Uebel/Grêmio
Roger Machado viu antecessores caírem após eliminações nas oitavas da Libertadores Imagem: Lucas Uebel/Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

27/04/2016 06h00

Disputar as oitavas de final da Libertadores para o Grêmio traz consigo um tabu. Desde 2009 o Tricolor não avança desta fase. A 'etapa maldita' se apresenta novamente a partir desta quarta-feira (27) diante do Rosario Central, na Arena, às 21h45 (horário de Brasília). E se o passado recente é ruim ao time, é pior ainda aos treinadores. 

Cair nas oitavas encaminhou demissões de três comandantes do Grêmio. O primeiro foi Renato Gaúcho, que fez ótima campanha em 2010, levou o time à competição continental de 2011 mas não contava com as derrotas para o Univesidad Católica, cujos principais jogadores eram Lucas Pratto (hoje no Atlético-MG) e Cañete (que atua no São Bernardo-SP). Em seguida, perdeu a final do Gauchão e logo depois acabou demitido. 
 
Ser eliminado nas oitavas de final também pesou a Vanderlei Luxemburgo. Em história semelhante a de Renato, o treinador levou o time à Libertadores de 2013 com boa campanha no ano anterior. Contudo, apesar do alto investimento feito em atletas caros como Vargas, Barcos, Cris e André Santos, o Tricolor foi eliminado pelo Independiente Santa Fé, da Colômbia. Novamente perdeu o Gauchão sem nem a existência de uma final - o Inter ganhou os dois turnos - e logo em seguida foi demitido. 
 
O técnico que mais recentemente sofreu com a 'fase maldita' foi Enderson Moreira. Assumindo o time já na Libertadores, em 2014, o treinador teve boa campanha na primeira fase e encarou o San Lorenzo nas oitavas. Se deu mal. O time do Papa Francisco classificou-se nos pênaltis em plena Arena. O fim da história é esperado. Derrota na final do Gaúcho com goleada para o Inter e demissão em seguida. 
 
Roger Machado, auxiliar de Renato e Luxa nas ocasiões, viu tudo de perto. Nesta quarta, começa a buscar a classificação e encerrar tal marca diferente dos demais, e até pior. Foi eliminado nas semifinais do Gauchão para o Juventude e irá encarar o Rosario tendo a Libertadores como competição única. Pode até ser bom, pelo desgaste menor do grupo, mas uma nova queda seria ainda mais pesada. 
 
A última vez que o time avançou das oitavas foi até a semifinal. Em 2009, o Tricolor teve três técnicos na Libertadores. A primeira fase foi comandada por Celso Roth, que acabou demitido mesmo com a melhor campanha do torneio continental por causa de uma série de derrotas para o Inter no Gauchão. Em seguida, Marcelo Rospide, que era auxiliar, assumiu o time e disputou o fim da fase de grupos e oitavas de final. Nas quartas assumiu Paulo Autuori, que classificou-se sobre o Caracas com dois empates e foi eliminado para o Cruzeiro. 
 
FICHA TÉCNICA
 
GRÊMIO X ROSARIO CENTRAL
Data e hora: 27/04/2016 (quarta-feira), às 21h45 (Brasília)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Transmissão na TV: Globo e Fox Sports
 
Árbitro: Victor Carrillo (PER)
Auxiliares: Johnny Bossio e Braulio Cornejo (PER)
 
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Ramiro, Fred, Bressan e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Giuliano e Douglas; Miller Bolaños (Bobô) e Luan. 
Técnico: Roger Machado
 
ROSARIO CENTRAL: Sosa; Salazar, Donatti, Pinola e Villagra (Burgos); Musto, Montoya, Fernandez, Cervi e Lo Celso; Marco Ruben.
Técnico: Eduardo Coudet
 

Futebol