PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Após perder batalha com Conmebol, Kalil ameniza: "Vamos fazer festa linda"

Presidente Alexandre Kalil espera uma festa "muito linda" para o Mineirão - Bruno Cantini/Site do Atlético-MG
Presidente Alexandre Kalil espera uma festa "muito linda" para o Mineirão Imagem: Bruno Cantini/Site do Atlético-MG

Bernardo Lacerda

Do UOL, em Assunção

16/07/2013 15h19

Depois de perder a batalha pelo segundo jogo da final da Libertadores no Independência, a diretoria do Atlético-MG adotou a estratégia de evitar polemizar com a Conmebol e preparar a transferência do “clima de caldeirão” para o Mineirão, estádio que foi confirmado pela entidade como palco do confronto final com o Olimpia.

“É o Mineirão, está decidido. Então, vamos lá fazer uma festa muito linda. O Atlético nunca abriu mão do Mineirão”, afirmou o presidente atleticano, Alexandre Kalil, ao UOL Esporte, em uma rápida saída do hotel onde a delegação alvinegra está hospedada em Assunção.

Indagado se a Conmebol não utilizou pesos e medidas diferentes, já que a alegação atleticana era que o Defensores del Chaco não comporta 40 mil pessoas, Alexandre Kalil não quis responder, limitando-se a repetir: “Será no Mineirão, está decidido”.

Confirmação de jogo final no Mineirão é recebida com festa por atleticanos

  • Dionízio Oliveira/UOL

De acordo com o presidente atleticano, não haverá nenhum problema entre Atlético e Minas Arena, concessionária que administra o estádio, para a realização do jogo, em 24 de julho. Como o alvinegro mineiro e o consórcio não firmaram acordo de exclusividade, como tem o rival Cruzeiro, por exemplo, serão respeitas as bases do edital de concessão do estádio.

‘Braço direito’ de Alexandre Kalil, o diretor de planejamento do Atlético-MG, Rodolfo Gropen, adotou o mesmo discurso do presidente, tratando o pleito pelo Independência como assunto superado. “Está decidido e agora vamos preparar a casa para fazer ali um grande caldeirão”, salientou.

Segundo Gropen, a torcida do Atlético terá um papel ainda mais importante com o jogo no Mineirão. A diretoria alvinegra acredita num forte apoio. “Com certeza a nossa torcida é muito criativa e fará uma festa muito grande e bonita agora no Mineirão”, enfatizou o dirigente atleticano.

Desde a última quinta-feira, o segundo jogo estava marcado pela Conmebol para o Mineirão, por conta do regulamento da Libertadores, que determina capacidade mínima para 40 mil torcedores para sediar a decisão. O Atlético-MG tentou modificar essa decisão, contando com o apoio do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marín, que, na noite de segunda-feira, oficializou a solicitação de mudança na programação. A alegação é que o Defensores del Chaco, local da primeira partida, não tem capacidade para esse público estipulado.

Nesta terça-feira, a Conmebol acatou ofício encaminhado pela Federação Paraguaia de Futebol comprovando capacidade para 40.579 torcedores no Defensores del Chaco. Dessa forma, confirmou a marcação da finalíssima para o Mineirão, com capacidade para 64 mil pessoas, encerrando as pretensões atleticanas.

 

Futebol