PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2019

Cartola corintiano diz que juiz devia apanhar e vê placar "encomendado"

Tite cumprimenta Rodney Aquino e Carlos Amarilla, auxiliar e árbitro do jogo - Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Tite cumprimenta Rodney Aquino e Carlos Amarilla, auxiliar e árbitro do jogo Imagem: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Do UOL, em São Paulo

16/05/2013 19h24

O diretor de futebol do Corinthians, Roberto de Andrade, fez acusações pesadas contra Carlos Amarilla e a Conmebol. Em entrevista à rádio Globo, o cartola alvinegra disse que o juiz deveria estar preso e disse que a eliminação dos atuais campeões da Libertadores foi “encomendada”.

“O Amarilla devia estar preso, mas conseguiu escapar ontem que alguém o prendesse”, disse Roberto de Andrade logo em sua primeira resposta. “O Amarilla chegou ao Brasil para apitar esse jogo com uma encomenda, e ele devolveu certinho, do jeito que pediram para ele fazer, para tirar o Corinthians da Libertadores. Ou você acha que estou falando alguma coisa exagerada. É assim que funcionam as coisas no futebol, infelizmente”, disse ele, muito indignado.

"Eu detesto violência, mas tem hora que parece que não resta outra coisa a fazer a não ser bater na cara dele. Porque não se faz isso com um homem, mas merecia, porque não sobrou outra coisa a fazer. Falar, nada resolve", desabafou. 

O juiz paraguaio foi fundamental na eliminação do Corinthians. Ele deixou de marcar um pênalti claro em Emerson nos primeiros minutos de jogo e anulou incorretamente um gol de Romarinho, alegando um impedimento inexistente. Além disso, jogadores, comissão técnica e dirigentes brasileiros ainda protestam por conta de inversões de falta e a postura em campo.

BLOG DO QUESADA

  • Divulgação

    Roberto Andrade: “O juiz é ladrão, safado e vagabundo”

Nesta quinta, em entrevista ao UOL Esporte, Nestor Benítez, assessor da Conmebol, disse que a entidade irá analisar os “fatos lamentáveis” do Pacaembu e ameaçou punir o árbitro. O Corinthians, por sua vez, descarta protestar oficialmente sobre o assunto.

“Não tem o que fazer. Vocês [imprensa] dão oportunidade da gente mostrar toda a indignação por todo o sistema falido que é esse futebol sul-americano e brasileiro e paulista também. Porque todos viram a imagem do jogo de ontem. Eu não vi um dirigente sequer do nosso futebol, tanto paulista como da CBF, do Brasileiro, se manifestando a favor do Corinthians pelas barbaridades que o juiz fez. Então, o que adianta falar? Só vamos nos desgastar”, completou Roberto de Andrade, que não vê falta de trabalho do clube nos bastidores.

“Não concordo. Se o problema é esse, vamos morar no Paraguai. Futebol se ganha dentro de campo, quando as coisas são transparentes e honestas. Quando não são, você pode dormir na porta da Conmebol que não vão te atender”, disse o dirigente.