PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2019

Atlético-MG tenta se manter 100% para repetir feito de Vasco e Santos

Jogadores do Atlético-MG querem repetir no Morumbi triunfo sobre São Paulo em BH - Marcus Desimoni/UOL
Jogadores do Atlético-MG querem repetir no Morumbi triunfo sobre São Paulo em BH Imagem: Marcus Desimoni/UOL

Bernardo Lacerda

Do UOL, em Vespasiano (MG)

17/04/2013 06h03

Com a intenção de encerrar a participação do São Paulo na Libertadores de 2013, no confronto desta quarta-feira, pela despedida da fase de grupos, no Morumbi, às 22h, o Atlético-MG, que ainda não foi derrotado para o tricolor paulista na história da competição, poderá repetir feito de outros dois brasileiros e terminar a fase de grupos com 100% de aproveitamento.

Desde 2000, quando a competição passou a ser disputada por 32 times, na fase de grupos, chamada Libertadores moderna, somente Vasco e Santos obtiveram o feito que o Atlético-MG tenta alcançar. Em 2001, o Vasco chegou aos 18 pontos. O outro a alcançar o feito foi o Santos, em 2007. Caso vença o São Paulo, o Atlético será o terceiro clube a obter a façanha.

Richarlyson "ignora" rejeição de são-paulinos e espera receber carinho

  • Bruno Cantini/Site do Atlético-MG

    O volante Richarlyson reencontrará o São Paulo, onde viveu seu melhor momento na carreira, mas também encontrou forte rejeição por parte da torcida. Hoje no Atlético-MG, o jogador crê, no entanto, que será bem recebido por “grande parte” dos torcedores durante a partida desta quarta-feira, no Morumbi, pela Libertadores. “Encarar como um jogo comum, claro que vou encontrar carinho de alguns companheiros que ficaram lá, da comissão técnica, grande parte da torcida pode me dar este carinho, mas estou defendendo o Atlético”, observou Richarlyson.

Caso bata o São Paulo, o Atlético poderá ainda repetir pela terceira vez o mesmo placar do primeiro jogo, na partida de volta. No outros encontros que teve com Arsenal e The Strongest, que completaram o grupo 3 da Libertadores, o Atlético venceu os argentinos por 5 a 2 e bolivianos, por 2 a 1, nos dois jogos.

O primeiro encontro entre Atlético e São Paulo, que abriu a Libertadores de 2013, no Independência, terminou com triunfo atleticano por 2 a 1. Caso o time comandado por Cuca consiga a façanha de repetir novamente o placar, irá manter os 100% de aproveitamento, além de eliminar o tricolor paulista do torneio.

O atacante Diego Tardelli torce por uma repetição do resultado da primeira partida. “Tomara que se repita, este é o nosso objetivo, vencer em casa e fora, fazer as mesmas coisas que a gente vem fazendo, mas não vamos entrar em polêmica alguma”, disse.

Ney Franco esconde escalação do São Paulo para enfrentar "melhor da América do Sul"

  • Fernando Donasci/UOL

    O São Paulo que entra em campo diante do Atlético-MG será um mistério até a última hora. Ney Franco confirmou que não revelará os 11 escolhidos por ele por ser um ingrediente a mais na batalha que travará com aquela que considera a melhor equipe da América do Sul. Apesar disso, ele adianta que as novidades serão restritas apenas aos nomes. O treinador descarta qualquer chance de mudança de esquema tático e ainda confirmou que Rogério Ceni e Rafael Tolói estarão à disposição para a partida. Ampliar

O volante Richarlyson, que será titular na lateral esquerda, prefere que o clube mineiro deixe o Morumbi sem sofrer gol. “Que possa continuar se possível, mas eu não quero tomar gol, que seja 1 a 0, 2 a 0, será bom para o sistema defensivo, que vai se firmando”, comentou.

A favor do Atlético para o decisivo duelo está o fato de o time nunca ter sido derrotado pelo São Paulo em confrontos pela Libertadores. Ao todo, foram cinco duelos entre os dois rivais pela competição, com duas vitórias atleticanas e três empates. Já no retrospecto geral dos encontros, vantagem pequena para os paulistas, que venceram 27, contra 25 do alvinegro mineiro, além de 28 empates.

“Palavra relaxamento não podemos nem sonhar com isso. Foi legal o que construímos até agora, mas a partir do momento que tivermos um tropeço o torcedor vai acabar esquecendo o que fizemos antes. Não é só no Atlético, é em todos os clubes. O São Paulo vem bem no Paulista, mas não vem assim na Libertadores. Essa palavra não pode passar no portão aqui”, afirmou o zagueiro Réver.

O capitão atleticano prega total respeito ao adversário desta quarta-feira e se preocupa com a tradição do São Paulo na Libertadores. “Equipe de tradição, história muito bonita na Libertadores, sabe disputar a competição. Temos de ter atenção para que isso não interfira, pois temos jogadores experientes nesse tipo de momento”, observou Réver.

Por outro lado, o time atleticano terá de superar o fato de ter sido derrotado nos últimos três jogos que fez em São Paulo. O alvinegro mineiro perdeu por 4 a 0 em 2010, 2 a 1, em 2011 e 1 a 0, no ano passado, todos confrontos válidos pelo Campeonato Brasileiro.