PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2019

Richarlyson "ignora" rejeição de são-paulinos e espera receber carinho

Richarlyson (d) crê que "grande parte da torcida" do São Paulo o receberá bem - Bruno Cantini/Site do Atlético-MG
Richarlyson (d) crê que "grande parte da torcida" do São Paulo o receberá bem Imagem: Bruno Cantini/Site do Atlético-MG

Bernardo Lacerda

Do UOL, em Vespasiano (MG)

16/04/2013 06h02

O volante Richarlyson reencontrará o São Paulo, onde viveu seu melhor momento na carreira, mas também encontrou forte rejeição por parte da torcida. Hoje no Atlético-MG, o jogador crê, no entanto, que será bem recebido por “grande parte” dos torcedores durante a partida desta quarta-feira, no Morumbi, pela Libertadores.

“Encarar como um jogo comum, claro que vou encontrar carinho de alguns companheiros que ficaram lá, da comissão técnica, grande parte da torcida pode me dar este carinho, mas estou defendendo o Atlético”, observou Richarlyson.

O volante, que tem atuado na lateral esquerda, defendeu o São Paulo por cinco temporadas, de 2005 a 2010. No clube paulista, o atleta foi tri-campeão do Brasileirão e campeão mundial. Lá, ele viveu o melhor momento em campo, chegando a ser convocado para a seleção brasileira. Em 2011, se transferiu para o Atlético.

Richarlyson rebate Osvaldo e diz que São Paulo se colocou nessa situação

  • Bruno Cantini/Site do Atlético-MG

    O volante Richarlyson rebateu as declarações dadas pelo atacante Osvaldo do São Paulo, que disse nesta segunda-feira que o Atlético-MG irá ?pisar na cabeça? do time paulista. O atleta atleticano, que já atuou pelo tricolor paulista, negou que o clube mineiro tenha motivação especial para derrotar o adversário desta quarta-feira, pela Libertadores. ?Em determinado momento da fala dele ele foi verdadeiro, a gente sabe do peso que tem a camisa do São Paulo, da tradição, mas o Atlético não vai pisar na cabeça de ninguém, é expressão mal colocada?, afirmou Richarlyson. ?Se o São Paulo chegou nesta condição de precisar vencer na última rodada a culpa não é do Atlético?, acrescentou.

No São Paulo, Richarlyson enfrentou um clima bem diferente com parte dos torcedores, que o vaiavam em todos os jogos e não gritavam o nome do jogador. No Atlético, a situação se inverteu, o volante não repetiu os grandes momentos na carreira, convivendo com perda da titularidade e status de grande reforço, mas encontrou a paz com a torcida.

O volante se diz grato pelo São Paulo, mas quer esquecer o passado nesta quarta-feira. “Vai se um jogo como contra outra equipe qualquer, sou muito feliz e agradecido ao São Paulo por tudo o que me proporcionou, mas sou profissional do Atlético e em cima disso vou tentar os objetivos no Atlético”, afirmou.

Richarlyson espera um jogo difícil contra o São Paulo e forte pressão sobre o Atlético. “A gente sabe da dificuldade que vamos enfrentar, o Morumbi deve estar em lotação máxima, a torcida vai empurrar, comparecer, mas o Atlético tem de fazer o que vinha fazendo na competição, jogar sério, para cima, vai ser jogo difícil”.

“A gente sabe que a arbitragem é diferente, a brasileira, não vai deixar o jogo correr muito. Vamos enfrentar pressão desde o começo do jogo, vão nos pressionar, tentar fazer gol o mais rápido possível, mas vamos tentar fazer o nosso melhor, sem nada de diferente”, acrescentou o atleta alvinegro.

O volante atleticano não vê o São Paulo um dos candidatos ao título da Libertadores, principalmente pela campanha no primeiro turno do Libertadores. “No momento não, se fosse postulante ao título não estaria na condição que está agora”, disse.

“Mas na história, tem camisa, tem força, tradição, pode crescer se passar para a próxima fase, mas no momento temos de eliminar o adversário nosso, ir pontuando, vencendo, é o momento de eliminar o São Paulo e temos de fazer a nossa parte”, acrescentou Richarlyson.