PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2019

Luxa diz que Vilson não acatou ordem, revela pressão de empresário e descarta zagueiro

Luxemburgo entrou em contato com Koff (e) e Rui Costa para tomar a decisão - Wesley Santos/Pressdigital
Luxemburgo entrou em contato com Koff (e) e Rui Costa para tomar a decisão Imagem: Wesley Santos/Pressdigital

Do UOL, em Porto Alegre

17/01/2013 14h53

O técnico Vanderlei Luxemburgo explicou os motivos que fizeram ele, com o consentimento da direção, afastar o zagueiro Vilson da delegação que está treinando em Quito para o jogo contra a LDU, no dia 23, pela Pré-Libertadores. Segundo o treinador, o defensor se irritou com as provocações de um adversário argentino e passou a discutir e acertar chutes no jogador do o Independiente del Valle, na noite de quarta-feira. Imediatamente, o comandante chamou a atenção do atleta, que não respondeu as orientações.

“Chamei a atenção dele uma três ou quatro vezes e ele não deu a mínima atenção. Imagina se é um jogo de Libertadores e ele faz isso. Tirei e coloquei o Saimon. Terminou o primeiro tempo e chamei a atenção de todos para que as minhas orientações fossem cumpridas. [...] Chamei a atenção, mas disse que o Vilson que ele ia continuar. Notei que ele ficou com a cara fechada e perguntei se ele queria continuar. Ele disse que não. Ah, não quer? Então tá. Não vou correr riscos”, declarou Vanderlei Luxemburgo à Rádio Bandeirantes.

O treinador revelou também que partiu dele o desejo de permanecer com Vilson no grupo em 2013, mesmo com o zagueiro ter sofrido diversas lesões nos últimos anos e estar com o vínculo por encerrar no final do ano, o que abre a possibilidade dele assinar um pré-contrato em junho. Ao conversar com o diretor executivo Rui Costa sobre o fato, Luxemburgo ficou sabendo que o advogado do jogador enviou dois e-mails afirmado que ele só jogaria contra os equatorianos se renovasse o vínculo.

DIRIGENTE POLÍTICO PEDE DEMISSÃO ANTES DO PRIMEIRO JOGO DO GRÊMIO

O presidente Fabio Koff e o conselho de administração do Grêmio precisarão encontrar um novo assessor político de futebol. Na manhã da última quarta-feira, o advogado Omar Selaimen entregou o cargo ao mandatário máximo do clube.

Durante o dia, integrantes do grupo político de Koff tentaram mudar a situação, mas a situação não se alterou. Alegando dificuldades para conciliar a profissão com os serviços prestados ao Grêmio, Selaimen não faz mais parte do departamento de futebol do clube. LEIA MAIS

“Não conto mais com ele pela maneira que aconteceu o fato. Eu sou o técnico para orientar e mostrar como quero que a equipe atue. Chamei a atenção, dei uma oportunidade para voltar ao treinamento, corrigir, se empenhar, fazer aquilo que tem que ser feito em um jogo e ele se recusa a fazer? Será que amanhã em um jogo, eu vou chamar a atenção e ele vai fazer? Não vamos correr esse risco. Está definido que ele não fica”, afirmou o treinador.

Pelo microblog Twitter, Vilson negou que a atitude tenha alguma relação com a necessidade de renovar o contrato. “Gostaria de esclarecer, especialmente para a torcida do Grêmio, que sempre me apoiou que, em nenhum momento condicionei minha participação em qualquer tipo de treino ou jogo a renovação”, escreveu.

Vilson admitiu que errou durante o treino, perdeu a cabeça e pediu desculpa pelo episódio, mas também demonstrou estar chateado com as consequências. “Tive uma proposta de fora para ganhar o dobro, o professor Vanderlei me pediu para ficar e disse que ia falar com a diretoria, para renovarem. Fiquei muito feliz de renovar com um clube que me abraçou e abri mão do sonho de ir pra fora. [...] Ai acontece uma situação dessa, lamentável e [com] declarações me pondo contra todos, pois sempre que precisou de mim botei minha cara a bater, sempre defendendo o clube que aprendi a amar”, publicou.

Saimon foi confirmado pelo técnico como titular ao lado de Cris contra a LDU. Douglas Grolli está em deslocamento para Quito para se integrar ao grupo e ser suplente contra os equatorianos.

Sobre a saída de Omar Selaimen, Luxemburgo revelou que ficou sabendo da notícia pela imprensa e lamentou o pedido de demissão do dirigente político do futebol gremista. “É uma pena porque trabalhava com a gente, estávamos nos identificando, conversando todos os dias e criando um entrosamento. Não tem maiores informações sobre esse assunto”, disse o técnico.

O Grêmio segue rotina de treinos em Quito, no Equador. O próximo jogo-treino ocorrerá no sábado, contra o Deportivo Quito. A partida contra LDU pela fase preliminar da Libertadores, ocorre na próxima quarta-feira, dia 23, às 22h, no estádio Casa Blanca. O duelo de volta está marcado para dia 30, na Arena do Grêmio.