PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sai zica! Desde agosto sem marcar, Gabriel Jesus faz dois, e City vence

Jogadores do City comemoram o gol de Gabriel Jesus - REUTERS/Andrew Yates
Jogadores do City comemoram o gol de Gabriel Jesus Imagem: REUTERS/Andrew Yates

Do UOL, em São Paulo

15/12/2018 12h22

Eleito homem do jogo, Gabriel Jesus voltou a ser decisivo pelo Manchester City e marcou os dois gols na vitória do time por 3 a 1 sobre o Everton neste sábado. O resultado coloca a equipe de Pep Guardiola na liderança provisória do Campeonato Inglês com dois pontos de vantagem sobre o Liverpool, que amanhã pega o Manchester United.

A atuação marcou o fim de uma longa fase do atacante brasileiro sem anotar gols pela competição - o último havia sido em agosto deste ano. O final da seca ocorreu depois de uma falha de Mina, ex-companheiro de Palmeiras. E Gabriel Jesus tinha mais a mostrar. No segundo tempo, ele fuzilou o goleiro Pickford em uma cabeçada. O período sem balançar as redes duas vezes na mesma partida remete a 14 de outubro de 2017 na goleada por 7 a 2 sobre o Stoke.

Calvert-Lewin achou um gol e descontou para o Everton. Mas Sterling não quis saber de emoção na partida e fez o terceiro do time de Guardiola quatro minutos depois. O lance mais uma vez contou com erro de Mina, que estava longe do adversário. O placar mostra a capacidade de recuperação do Manchester City, que venceu após perder a invencibilidade no Campeonato Inglês na última rodada ao ser derrotado pelo Chelsea.

A equipe está com 44 pontos e na liderança provisória da competição com dois de vantagem sobre o Liverpool. O Everton é o sétimo com 24 pontos e esta foi a quarta rodada sem vitória.

Gabriel Jesus - ANDREW YATES/REUTERS - ANDREW YATES/REUTERS
Imagem: ANDREW YATES/REUTERS

Mina falha e Gabriel Jesus marca

Como ocorreu em vários momentos do primeiro tempo, a defesa do Everton foi acuada pelos atacantes do Manchester City. No lance que gerou o primeiro gol, Mina estava dentro da área é recorreu ao chutão para afastar o perigo. Mas não usou a força que deveria e a bola caiu na intermediária no pé de Gündogan. O volante conduziu até perto da área e acionou o atacante do time. Gabriel Jesus tocou por baixo do bom goleiro Pickford aos 21 minutos do primeiro tempo e acabou com o jejum de gols.

Logo no começo do segundo tempo o brasileiro repetiu a dose. Cruzamento de Sané e ele pulou livre no meio da área e a cabeçada saiu tão forte que parecia um chute, a bola estufou as redes. O detalhe do gol foi a liberdade que permitiu a um jogador longe de ser alto marcar aos quatro minutos da etapa complementar.

Os brasileiros 

O gramado estava cheio de brasileiros e os desempenhos foram diferentes de acordo com a equipe que defenderam. Pelo lado do Manchester City, Gabriel Jesus foi o grande nome do confronto fazendo dois e encerrando a seca que durava meses. Fernandinho fez a atuação que se espera dele: seguro na marcação e com qualidade nos passes para o City ter uma boa transição do ataque para a defesa. Ederson tomou um gol, mas não havia chance de defesa. No mais, foi pouco exigido.

Entre os atletas do Everton, Richarlison teve duas chances de marcar e desperdiçou ambas. Foram dois chutes para fora em finalizações livres. Ele é artilheiro do time no Campeonato Inglês, mas está devendo nos jogos contra os grandes da Inglaterra. Bernard foi pouco acionado porque o time não conseguia sair com qualidade do campo de defesa. Apagado, foi substituído no segundo tempo.

Times apostam em marcação alta

Os técnicos apostaram em não deixar o adversário ter vida fácil na criação das jogadas apostando na pressão da saída de bola. A estratégia é característica da equipe de Pep Guardiola que executou a marcação alta com perfeição. Tanto que o gol ocorreu depois do erro de Mina que foi cercado por um adversário e não tinha opção de passe.

O City recuperou a bola no campo de ataque em várias ocasiões permitindo levar perigo ao goleiro adversário. O Everton tentou a mesma tática, mas não teve o mesmo desempenho. O jeito foi apostar em lançamentos longos que não surtiram efeito.

Pickford fecha o gol

O goleiro do Everton justificou a condição de titular da seleção inglesa com uma atuação muito boa. Foram duas defesas bastante difíceis que exigiram qualidades diferentes. Na primeira, cruzamento da esquerda e o zagueiro Keane desviou contra o próprio de dentro da pequena área. Pickford precisou mostrar rapidez de reação e muita elasticidade para desviar a bola que entrava rasteira no canto esquerdo.

No segundo lance, a bola sobrou livre e quicando na área entre a marca do pênalti e a pequena área. O jogador do City pegou em cheio batendo muito forte. Pickford teve reflexo e explosão muscular para espalmar, aliviando o perigo.

Mina foi o pior em campo

O zagueiro colombiano jogou muito mal neste sábado falhando no primeiro e no terceiro gol do Manchester City. No lance que levou Gabriel Jesus a abrir o placar, ele afastou mal e ainda demorou a sair lá de trás permitindo que Gabriel Jesus estivesse em posição legal para receber e marcar. No segundo tempo, o Everton poderia ensaiar uma pressão sobre o adversário após achar um gol. 

Mas Mina ficou muito longe de Sterling no cruzamento que veio da esquerda e o adversário estava livre dentro da pequena área para acabar com qualquer esperança de empate. Irritado com mais uma falha que terminou em gol, o defensor chutou a bola irritado. 

Esporte