PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Manchester City domina United, retoma ponta do Inglês e mantém 100% em casa

Avassalador no clássico, City venceu por 3 a 1 e segue invicto em casa - Dave Thompson/AP Photo
Avassalador no clássico, City venceu por 3 a 1 e segue invicto em casa Imagem: Dave Thompson/AP Photo

Do UOL, em São Paulo (SP)

11/11/2018 16h23

O Manchester City segue fazendo valer o fator casa no Campeonato Inglês. Neste domingo (11), o time recebeu o United para o clássico 177, venceu por 3 a 1 e segue com 100% de aproveitamento no Etihad Stadium, com sete vitórias em sete jogos. Os gols saíram pelos pés de David Silva, Aguëro e Gündogan, e Martial, de pênalti, descontou para os visitantes.

Superior durante os 90 minutos, o City voltou à liderança isolada do Campeonato Inglês, com 32 pontos, dois a mais que o segundo colocado Liverpool -- que havia assumido a ponta após vencer o Fullham na rodada. O United, por sua vez, estacionou nos 20 pontos e caiu para a oitava posição.

O próximo compromisso dos Citizens no Inglês será no dia 24 de novembro, após a Data Fifa, contra o Watford, no Vicarage Road. Já o United tenta a recuperação em casa, contra o Crystal Palace.

Aguëro, o rei dos clássicos

O argentino Sergio Kun Aguëro voltou a marcar no derby de Manchester. Depois de quatro clássicos de jejum e há quase um ano sem balançar a rede contra os grandes da Inglaterra, ele fez o segundo do City no jogo, chegou a nove gols em 13 clássicos disputados e se aproximou de Rooney na artilharia – o inglês tem 11. E poderia ter feito mais: puxou um contra-ataque perigoso e criou boas jogadas, mas foi travado pela defesa do United.

Young deixa avenida para os meias do City

Boa parte das jogadas de perigo dos anfitriões saiu pelo lado esquerdo do ataque em tabelas entre Sterling e Aguëro. O motivo? O lateral direito Young deixou uma avenida no setor e foi incapaz de travar qualquer aproximação em velocidade.

Fernandinho joga de cabeça erguida

O brasileiro teve grande atuação em Etihad. Distribuiu o jogo para os meias, dando velocidade à transição, arriscou alguns chutes de fora da área e foi impecável na defesa, dando cobertura segura aos zagueiros. Ele travou uma bola de Martial no momento exato para salvar De Gea.

Com Tite no estádio, Fernandinho foi muito bem no clássico - Jason Cairnduff/Reuters - Jason Cairnduff/Reuters
Com Tite no estádio, Fernandinho foi muito bem no clássico
Imagem: Jason Cairnduff/Reuters

Avassalador, City abre logo o placar

Só deu City nos primeiros de jogo e o gol parecia questão de tempo. Apostando na troca rápida de passes, o time de Guardiola teve quase 90% de posse e três chances nos primeiros dez minutos. Aos 11, saiu o gol. Sterling cruzou a bola na área para Bernardo Silva, que escorou para trás e viu David Silva dominar e chutar para o fundo das redes. Foi o terceiro gol dele nos últimos três jogos do time em casa.

Com vantagem, donos da casa desaceleram

Depois de marcar, o City desacelerou, mas continuou dominando as ações em campo. Dessa forma o United, completamente dominado no início, conseguiu se impor um pouco mais, porém só conseguia trocar passes no campo de defesa. Sempre que passava do meio de campo, o time de Mourinho era dominado pela defesa bem postada do rival, e ainda cedeu dois contra-ataques para o City. Nos minutos finais do primeiro tempo, o City voltou a dominar e levou perigo com Aguëro e Sterling.

Ederson faz pênalti bobo e Martial aproveita

Aguëro ampliou a vantagem logo no início do segundo tempo. O jogo parecia tranquilo para o City, até que o goleiro Ederson fez um pênalti evitável em Lukaku, que havia acabado de entrar em campo. Martial bateu firme e descontou. Contra o Southampton, na rodada passada, o goleiro brasileiro também cometeu um pênalti bobo e foi alvo de críticas por parte da torcida.

United tenta empolgar, mas não consegue

O United se empolgou com o gol e ensaiou uma pressão, mas os Citizens não demoraram a retomar o controle do jogo. Fernandinho fez De Gea trabalhar duas vezes, e Sané perdeu uma bola de contra-ataque puxado por Sterling.

Estrela de Guardiola brilha e Gündogan marca

Os donos da casa seguraram a bola no pé e trocaram passes para fazer o tempo passar mais rápido. O jogo já parecia administrado quando Gündogan selou o triunfo. O volante havia acabado de entrar no lugar de Aguëro quando, aos 41 minutos, recebeu bom cruzamento de Bernardo Silva na área para deixar sua marca, garantir a vitória, a invencibilidade e, de quebra, levar o City de volta à liderança.

Sob o olhar atento de Tite

O técnico Tite esteve no estádio com Edu Gaspar para acompanhar de perto os brasileiros em campo, já que na segunda (12) a Seleção Brasileira se apresenta na Inglaterra para iniciar a preparação para os amistosos contra Uruguai e Camarões, dias 16 e 20 de novembro, respectivamente. Entre os brasileiros, contudo, quem se destacou foi Fernandinho, que não voltou a ser convocado após a falha contra a Bélgica nas quartas de final da Copa do Mundo. Ederson fez um pênalti evitável, Gabriel Jesus ficou no banco e o lateral Danilo nem sequer foi relacionado.

Alex Ferguson e Elano também marcaram presença

Lendário técnico do Manchester United, Sir. Alex Ferguson esteve no estádio para acompanhar o clássico de Manchester. O brasileiro Elano também esteve presente e foi bastante aplaudido pela torcida do City, time que defendeu entre 2007 e 2009. O ex-atleta se aposentou em 2016 e, desde então, estuda para seguir a carreira de treinador.  

Homenagem aos heróis da guerra

Antes de a bola rolar para o clássico, os jogadores fizeram uma homenagem aos combatentes ingleses na Primeira Guerra Mundial. A homenagem se deve ao fato de que neste domingo, 11 de novembro, completam-se 100 anos da assinatura do tratado que pôs fim ao conflito.

FICHA TÉCNICA
MANCHESTER CITY 3 X 1 MANCHESTER UNITED

Data: 11 de novembro de 2018, domingo, às 14h30 (de Brasília)
Local: Etihad Stadium
Cartões amarelos: Bernardo Silva, Shaw
Cartões vermelhos: -
Gols: David Silva, aos 11’ do primeiro tempo; Aguëro, aos 2’, Martial, aos 12’, e Gündogan aos 41’ do segundo tempo

MANCHESTER CITY: Ederson; Walker, Stones, Laporte e Mendy; Fernandinho, Bernardo Silva e David Silva; Mahrez (Sané), Sterling e Aguëro (Gündogan).
Técnico: Pep Guardiola

MANCHESTER UNITED: De Gea; Young, Smalling, Lindelöf e Shaw; Matic, Fellaini e Ander Herrera (Mata); Lingard (Alexis Sánchez), Rashford (Lukaku) e Martial.
Técnico: José Mourinho

Esporte