PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-alvo do United e fã de Mourinho, Hazard tem chance de afundar rival

REUTERS/Eddie Keogh
Imagem: REUTERS/Eddie Keogh

Do UOL, em São Paulo (SP)

19/10/2018 04h00

Quando se destacou pelo Lille, em 2012, Eden Hazard despertou o interesse de gigantes europeus, entre eles o Manchester United. Mas na opinião de Sir Alex Ferguson, icônico treinador do clube inglês, pagar 34 milhões de libras pelo meia-atacante belga seria um investimento alto demais. Sorte do Chelsea, que não economizou e forjou um novo ídolo para a torcida.

Desde então, Hazard transformou o United em vítima nos clássicos locais. Venceu oito dos 15 confrontos disputados, com cinco gols marcados. No último duelo com o rival, anotou o gol da vitória por 1 a 0 na final da Copa da Inglaterra, em maio, no Wembley.

Neste sábado (20), às 8h30 (de Brasília), no Stamford Bridge, em Londres, as duas equipes se reencontram na abertura da nona rodada do Campeonato Inglês. O Chelsea é vice-líder nos critérios de desempate, com os mesmos 20 pontos do líder Manchester City, e está invicto. Já o United reagiu na tabela graças ao triunfo por 3 a 2 sobre o Newcastle, de virada, mas ocupa ainda o oitavo lugar, com 13 pontos, e está sob pressão.

Para azar dos comandados pelo português José Mourinho, que convive com a ameaça de demissão pelos maus resultados neste início de temporada, Hazard vive fase iluminada. Foram sete gols e três assistências até o momento na Premier League. 

O emprego do treinador do United, de certa forma, depende da inspiração de Hazard no clássico. Às vésperas do duelo, o camisa 10, no entanto, preferiu destacar a sua admiração por Mourinho, com quem trabalhou no Chelsea entre 2013 e 2015, em passagem marcada por queda brusca de rendimento e insatisfação de parte do elenco com o chefe, cenário parecido ao vivido em Manchester atualmente.

Hazard e Mourinho - Michael Regan/Getty Images - Michael Regan/Getty Images
Hazard e Mourinho juntos pelo Chelsea, em 2015
Imagem: Michael Regan/Getty Images

"Em 12 anos, eu só tive uma temporada ruim, que foram os últimos seis meses com Mourinho (no Chelsea), e parte disso foi minha culpa. Depois do título (inglês), pedimos a Mourinho por mais tempo de férias, e voltei completamente fora de forma. Se você me perguntar qual técnico eu gostaria de trabalhar de novo, eu responderia que é o Mourinho", afirmou Hazard nesta semana ao jornal belga "HLN".

Futebol para brigar por Bola de Ouro?

As atuações de Eden Hazard neste início de temporada reacenderam duas discussões na Europa: as chances de o belga ser finalista do prêmio de melhor do mundo da Fifa e o interesse do Real Madrid na contratação do camisa 10.

Sétimo colocado no The Best deste ano, conquistado pelo meia croata Luka Modric, Hazard acredita que ganhará mais visibilidade para faturar a honraria se atuar na Espanha (leia-se por Barcelona ou Real), mas descartou uma troca de clube na janela de transferências de janeiro.

De acordo com o jornal italiano "La Gazzetta dello Sport", nesta semana o Chelsea teria oferecido salário anual de 18 milhões de euros para renovar com Hazard até junho de 2020.

"Quero algo que seja bom para mim, mas que seja bom para o clube, porque o Chelsea me deu tudo. Eu não quero dizer: 'O.K., vou assinar um novo contrato aqui' e, no fim das contas, me transferir. Às vezes, na minha cabeça, penso que é hora de ir embora. Em outros momentos, acho que quero ficar. Se continuar ou sair, estarei feliz", disse o jogador no último dia 11, em coletiva de imprensa com a seleção da Bélgica.

Esporte