PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Maxi fratura a mão e para por um mês. Grêmio chega a sete baixas

Maxi Rodríguez é o sétimo jogador do Grêmio a ficar fora de combate no início do ano - Lucas Uebel/Divulgação Grêmio
Maxi Rodríguez é o sétimo jogador do Grêmio a ficar fora de combate no início do ano Imagem: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

17/02/2017 14h32

O departamento médico do Grêmio não para de receber novos pacientes. Nesta sexta-feira (17), o meia Maxi Rodríguez teve constatada uma fratura na mão direita e ficará em recuperação por quatro semanas. Com o novo caso, o Tricolor chega a sete jogadores fora de combate por diferentes tipos de lesão.

Maxi se junta a Douglas, Edílson, Jael, Pedro Rocha, Luan e Beto da Silva.

Oficialmente, o Grêmio não trata os casos de Luan, Pedro Rocha e Jael como lesões. De acordo com o clube, o trio apresentou tendinite em articulações e passa por reavaliação diária. Já Edílson, Beto da Silva e Douglas são considerados lesionados de fato.

O lateral direito teve lesão na panturrilha direita após se recuperar de artroscopia no joelho direito, o meia Douglas rompeu ligamento e já fez cirurgia - voltando em seis meses, e Beto da Silva teve lesão muscular na coxa que demanda quatro semanas de recuperação.

De acordo com o departamento médico do Grêmio, Maxi teve constatada uma fratura no quarto osso metacarpeano. O problema foi contraído após o treino da manhã dessa sexta-feira. O jogador passou por exame para confirmação da lesão.

No Grêmio desde 2014, Maxi Rodríguez jogou por empréstimo no Peñarol na temporada passada. Voltou antes do final do contrato temporário para se recuperar de lesão e iniciou o ano no elenco principal. Teve bom desempenho nos treinos e era considerado como opção caseira para a vaga de Douglas no time titular. O contrato dele com o Tricolor vai até dezembro.

Futebol