PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Gol do título comprova melhor ataque do BR e Deyverson como talismã

Danilo Lavieri e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

25/11/2018 19h01

O Palmeiras tem um talismã para a conquista do deca: Deyverson. Com um gol do atacante que envolveu boa parte do sistema ofensivo montado por Felipão, a equipe venceu o Vasco por 1 a 0 neste domingo e oficializou a conquista do Brasileirão de 2018. São 61 gols nos 37 jogos disputados e o melhorataque do país. 

A jogada resume bem o que o torcedor alviverde se acostumou a ver neste Brasileirão. Dudu abriu para Willian, que cruzou nos pés do “Menino Maluquinho”. Ele tocou para o fundo da rede e já correu para comemorar tirando a camisa para receber mais um cartão amarelo, outra marca de sua passagem.

Neste domingo, ele voltou a ter atuação decisiva, a exemplo do que havia sido no meio da semana, contra o América-MG. No lugar de Borja, o atleta deu muito mais movimentação para a linha de frente e abriu espaço para quem vinha de trás.

"O grupo não me abandonou, nem minha família. Esse título é para os meus companheiros, para esta torcida maravilhosa. É comemorar agora com a família, porque estou no Rio de Janeiro, onde nasci e fui criado. Tenho carinho pelo vasco, mas aprendi a amar o Palmeiras. Me criticaram, me aplaudiram, mas pude mostrar que sou um cara dedicado", afirmou ele à TV Globo.

"Não, estrela é o Palmeiras. Deyverson é só mais um para ajudar. Não tenho palavras pra falar aqui, vou chorar. Meu pai, minha mãe, meu irmão Leandro, que largou a namorada para ficar comigo. Não tenho palavras, Palmeiras me abraçou de uma forma que não tenho palavras. Torcida está de parabéns", completou.

Deyverson chegou ao Palmeiras a pedido de Cuca e custou R$ 20 milhões. A ideia era que ele fizesse sombra para Borja, contratado por mais de R$ 30 milhões e que não estava correspondendo às expectativas.

O atacante viveu altos e baixos. Quando Felipão chegou, ele vivia jejum no Brasileirão e, para piorar, atravessava uma fase de muita indisciplina. Depois da troca no comando, o atleta correspondeu e fez nove gols, mas incomodou bastante por problemas extracampo. Mais de uma vez, o treinador chamou a atenção do atleta e até ameaçou puni-lo.

Recentemente, Felipão se irritou muito por vê-lo dando entrevista, mesmo após a proibição do técnico. Por isso, interrompeu ao vivo a reportagem e ainda mandou o repórter da TV Globo para o inferno. Depois, fez o mea-culpa.

Deyverson tem muita simpatia de boa parte da torcida por ser irreverente. Em uma declaração, chegou a dizer que “tem um chip que solta da cabeça” para justificar algumas atitudes como simulações e cartões amarelos por indisciplina.

No grupo, ele é chamado muitas vezes de Mc Deyvinho, por gostar bastante de funk, tanto para dançar quanto para cantar. Muito próximo de Felipe Melo, ele também tem bastante amizade com os gringos do elenco por saber falar espanhol após a sua passagem na Espanha.

Esporte