PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dorival defende Paquetá após expulsão: "Foi no instinto, não há desleixo"

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/11/2018 20h03

O técnico Dorival Júnior não aprovou a atuação do Flamengo na maior parte da vitória por 1 a 0 sobre o Sport, neste domingo (18), na Ilha do Retiro. Ele, no entanto, elogiou o fato de o time ter se reinventado no segundo tempo após a expulsão de Lucas Paquetá, que matou um contra-ataque minutos depois de ter sido punido com o cartão amarelo.

Questionado sobre a conduta, o comandante saiu em defesa do meia vendido ao Milan-ITA e que soma atuações ruins na reta final com a camisa rubro-negra.

“Ele foi no instinto. O jogador passou na frente e iniciaria uma puxada forte. Talvez tenha sido isso e se esqueceu do cartão anterior. Logicamente, o Paquetá sai muito chateado com isso. Não há desleixo, nada que nos preocupe. É um processo de amadurecimento do atleta. O Paquetá passa por isso”, afirmou.

"Tive que voltar para marcar e fui um pouco forte. Prejudiquei a equipe. Fico um pouco triste, mas muito feliz pelo objetivo, que eram os três pontos", justificou Paquetá.

Sobre a atuação na vitória sobre o Sport, Dorival Júnior destacou a mudança da equipe após a expulsão de Paquetá.

“A grande verdade é que o nosso comportamento não foi aquilo que queríamos. A partir do instante em que ficamos com um a menos os jogadores se entregaram mais dentro de campo, viram que não tinham outro caminho, que precisariam se reinventar dentro da partida. Foi uma nova motivação e, felizmente, conseguimos um grande resultado”, encerrou.

Com 66 pontos e três jogos pela frente, o Flamengo assumiu a vice-liderança e ainda pode passar o Palmeiras (71). Para ser campeão, no entanto, o Rubro-negro precisa vencer as partidas e torcer para que os paulistas somem apenas mais quatro pontos.

Esporte