PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Time, comissão e diretoria: O que mudou no Corinthians um ano após título

Jô, artilheiro do Brasileirão com 18 gols, deixou o Corinthians rumo ao futebol japonês - Daniel Vorley/AGIF
Jô, artilheiro do Brasileirão com 18 gols, deixou o Corinthians rumo ao futebol japonês Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

15/11/2018 12h00

De um lado, Jô celebra a conquista do hepta do Corinthians no Brasileirão. Não tão longe dali, Rodriguinho dá entrevistas festejado por Giovanni Augusto. A comemoração ainda traz a seguinte cena: o técnico Fábio Carille é jogado para cima por um grupo de jogadores.

Todos esses momentos completam um ano nesta quinta-feira, mas esses personagens citados já estão bem longe do Parque São Jorge. Apesar do período curto, as mudanças no Corinthians foram profundas, do time titular à comissão técnica, de grande parte do reservas à diretoria. Doze meses depois, o time corre riscos no Campeonato Brasileiro - na noite da última quarta-feira, o Cruzeiro venceu a equipe alvinegra por 1 a 0 no Mineirão.

Seis titulares foram embora

Do time-base da campanha vitoriosa no Campeonato Brasileiro 2017, apenas cinco ainda fazem parte do elenco. São eles: Cássio, Fagner, Gabriel, Jadson e Romero. Todos os outros titulares foram vendidos pela diretoria.

Carille - Marcello Zambrana/AGIF - Marcello Zambrana/AGIF
Carille acertou com o Al-Wehda em maio e levou outros cinco integrantes da comissão
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

O primeiro a deixar o clube foi o zagueiro Pablo, que não acertou a renovação do contrato. Depois do fim da competição, Guilherme Arana e Jô foram vendidos para Sevilla e Nagoya Grampus, respectivamente.

O desmanche continuou em meio à disputa da Copa do Mundo, com as saídas de Balbuena e Maycon - o zagueiro acertou com o West Ham e o volante, com o Shakhtar Donetsk. Após o Mundial, Rodriguinho foi negociado com o Pyramids, do Egito.

Carille e mais cinco

O desmanche corintiano dos últimos meses chegou a atingir até mesmo a comissão técnica. Em maio, um mês depois de o Corinthians conquistar o título paulista contra o Palmeiras, Fábio Carille aceitou uma proposta do Al-Wehda, da Arábia Saudita.

Inicialmente, o auxiliar Leandro da Silva, o preparador físico Walmir Cruz, o observador técnico Mauro e o Denis Luup, chefe do Cifut, seguiram os passos do treinador. Semanas depois, o preparador de goleiros Mauri Lima também seguiu rumo ao Oriente Médio.

Debandada também entre os reservas

O elenco do Corinthians está bem diferente em relação àquele de um ano atrás. Nove jogadores deixaram o clube, oito deles por empréstimo: Léo Príncipe, Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel, Fellipe Bastos, Carlinhos, Moisés, Marciel e Camacho, que chegou a ser titular na reta final do Brasileirão. Completa a lista o turco Kazim, negociado com o futebol mexicano.

Andrés - Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians - Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Andrés ao lado do técnico Jair Ventura: dirigente voltou à presidência após seis anos
Imagem: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Em contrapartida, 21 jogadores chegaram ao Corinthians de janeiro a novembro deste ano. O clube apostou em jogadores jovens, como Araos, Douglas, Mateus Vital, Thiaguinho e Sergio Díaz, mas também acertou com atletas mais experientes, como Ralf, Emerson Sheik e Roger.

Sai Roberto, entra Andrés

A diretoria, por sua vez, passou a ter Andrés Sanchez no comando. O dirigente, do mesmo grupo político de Roberto de Andrade, ganhou a eleição em fevereiro, desbancando quatro adversários.

No futebol, apenas Alessandro Nunes foi mantido no cargo de gerente. Já Flávio Adauto deu lugar a Duílio Monteiro Alves. Jorge Kalil passou a ocupar a posição de diretor-adjunto.

Esporte