PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Inter reclama de TV e diz que árbitro esperou replay em gol anulado

Siga o UOL Esporte no

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

22/10/2018 22h55

O vice de futebol Roberto Melo, do Inter, reclamou muito do gol anulado de Leandro Damião no empate em 2 a 2 contra o Santos. O árbitro, que segundo ele errou, e a televisão, que não deu replay do lance, foram os alvos do dirigente. E o técnico Odair Hellmann manteve o mesmo tom de reclamação. 

"Nos últimos jogos tem sido muito difícil. Contra o São Paulo tivemos um gol mal anulado e conseguimos reverter. Mas é muito difícil, nem sempre se consegue passar por cima do adversário e da arbitragem. Hoje fomos novamente muito prejudicados. Um lance capital do jogo, que duas coisas nos chateiam demais porque trabalhamos muito, nosso time faz uma guerra a cada jogo, brigamos pelo campeonato. Primeiro que, daqui a pouco vão ter 20 caras de amarelo na beira do campo, cada vez tem mais, enxergamos uma parede, e aí tem um lance que é do juiz, na frente dele, ele não consegue ver, o bandeirinha do outro lado, marca impedimento, eles ficam sete minutos discutindo... Sem saber o que fazer. Seis árbitros sem conseguir tomar uma decisão, esperando o lance da TV, ficou bem claro isso. Os juízes não conseguiram tomar uma decisão. Ou era falta, se o Cuesta toca é falta. Ou foi o zagueiro que tirou, ele não deu uma coisa nem outra", disse o vice.

Segundo Melo, houve influência externa no jogo entre Palmeiras e Ceará. O pênalti marcado em favor do líder do campeonato, segundo Melo, aconteceu depois da imagem da televisão. E hoje a equipe de arbitragem esperava o replay, que não veio.

"E o que nos deixa mais perplexos é que eu vejo os comentaristas dando risada dos árbitros, dizendo que era constrangedor ficarem sete minutos esperando o lance da televisão. E por que ficaram esperando? Porque sempre passa na televisão. Ontem o Palmeiras ficou esperando um pênalti no lance da televisão. Ontem foi assim, o Palmeiras, nosso adversário direto para o título. E hoje? A regra mudou. Hoje não vamos passar o lance. E isso é muito estranho, nos deixa muito tristes. É constrangedor, além dos árbitros esperarem porque sabem que passa e até hoje passou, e hoje a televisão resolveu não passar o lance que era capital para nós", completou. "O que nos causa mais estranheza, e ficou claro que eles ficaram esperando. E ontem o jogo do Palmeiras foi decidido com o lance da televisão. Quem deu o pênalti foi o árbitro lá do outro lado. E foi motivo de piadinha, de gracinha. Hoje a TV resolve não passar? Hoje mudou a regra. Isso é muito estranho", acrescentou.

O técnico Odair Hellmann manteve o mesmo tom de reclamação. Os pontos foram semelhantes e antes de começar a falar, o treinador precisou respirar fundo e se conter para não ser traído pela emoção. 

"Saio triste daqui hoje. Triste, porque eu estou fazendo meu primeiro trabalho como treinador do futebol brasileiro. E é difícil demais aceitar este tipo de situação. Eu erro, os jogadores erram, o futebol é um jogo de erros. E nós temos que ter humildade de reconhecer nosso erro, e vir, trabalhar duro para consertar, conseguir as vitórias. Não pode, não pode, com todo respeito a arbitragem brasileira. Não pode demorar sete minutos para tomar uma decisão. Não pode. Mesmo que tenha tomado a decisão errada ou certa, ele é um ser humano, pode errar, mas não pode ele dar sequência no lance, dar a vantagem no lance porque viu o Sanchez bater na bola, se não foi, e foi porque eu vi, se não foi, foi falta no Cuesta. E ele deixou seguir. E o bandeira do outro lado, com visão prejudicada, chama o impedimento, mas ele deu a vantagem, viu o jogador batendo na bola. E ele espera auxílio externo para tomar decisão. Não pode. Eu sei que eles erram, mas tem que ter mais humildade. Eu respeito porque o ser humano vai errar, eu reconheço isso. Mas não pode ficar sete minutos esperando uma decisão externa. Porque tem mão no ouvido, esperando, conversando, e no sétimo minuto o quarto árbitro fala com ele. Estraga um jogo bonito, disputado, eu saio daqui muito triste. Já reconheci quando foi a favor de nós. São situações difíceis que eu, como comandante da equipe, não vou conseguir dormir, digerir, mas vou tentar seguir em frente, conseguir os três pontos fora de casa contra o Vasco", sacramentou. 

O Internacional não pretende vetar o árbitro Ricardo Marques Ribeiro em seus jogos. No entanto, irá até a CBF para se manifestar sobre o ocorrido.

Com o 2 a 2 diante do Santos, o Colorado ficou cinco pontos atrás do líder Palmeiras, sendo que agora é terceiro, um ponto atrás do Flamengo.

Na próxima rodada o Colorado encara o Vasco, no Rio de Janeiro. 

Esporte