PUBLICIDADE
Topo

Esporte

M. Oliveira vê chances de Libertadores, mas prioriza luta contra queda

Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em São Paulo

21/10/2018 19h20

O técnico Marcelo Oliveira freou a empolgação após vitória do Fluminense contra o Atlético-MG, neste domingo (21), no Engenhão. O treinador admitiu que o resultado permite ao time carioca sonhar com uma vaga na Libertadores via Campeonato Brasileiro, mas destacou que a prioridade é alcançar a pontuação necessária para livrar o Tricolor do risco do rebaixamento.

"A gente, quando fala aqui, não tem a intenção de iludir ninguém. Por vezes, um objetivo é difícil. A vitória diante de um adversário como o Atlético-MG nos dá uma aliviada. Ainda temos de estar atentos para chegar à pontuação de se livrar do risco [contra o rebaixamento]. Ainda é possível chegar na Libertadores, mas a prioridade ainda é nos livramos de qualquer risco da parte de trás", disse o treinador.

Com a vitória neste domingo, o Fluminense chegou aos 40 pontos e está na nona colocação. A equipe está a seis pontos da zona de classificação para a Libertadores e nove acima do Ceará, primeiro time da zona de rebaixamento.

Para Marcelo Oliveira, o Fluminense só poderá se concentrar em "objetivos maiores" no Brasileiro após atingir a pontuação necessária para se livrar da ameaça do rebaixamento. A equipe, no entanto, também tem a possibilidade de classificação para a competição continental pela Sul-Americana. Na próxima quarta-feira (24), o Tricolor enfrenta o Nacional, do Uruguai, pelo jogo de ida das quartas de final da disputa.

"Muitos falam em 44 ou 45 pontos [para escapar]. Isso pode mudar em relação aos próximos jogos. Com mais duas vitórias, a gente fica tranquilo e passa a pensar em coisas maiores. Atingindo essa pontuação, passaremos a ter tranquilidade para mesclar o time e priorizar a Sul-Americana. É um título importante e dá a vaga na Libertadores", completou.

Visando o compromisso na Sul-Americana, o treinador convocou a torcida para o compromisso da próxima quarta-feira e ressaltou a necessidade de atenção diante dos uruguaios.

"Quase que de forma natural, o torcedor privilegia a Sul-Americana. A prova disso é que a gente ganhou do Cuenca fora e, mesmo assim, 40 mil pessoas foram na volta aqui no Rio. Nem preciso convocar, mas é claro que um bom jogo passar pelo apoio do torcedor. Vai ser duro, o Nacional tem por tradição formar bons times. Vamos ter de lutar muito para conseguir o resultado e ir ao Uruguai com vantagem", disse o treinador. Neste domingo, 4.130 pagantes compareceram ao Engenhão na vitória sobre o Atlético-MG.

"Com o primeiro jogo em casa, a gente pode propor mais o jogo. Mas tem de ter cuidado pois nesta competição vale o gol qualificado", finalizou.

Esporte