PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dudu libera Deyverson "pilhado", mas coloca gols como condição

Deyverson comemora gol com Dudu no Palmeiras - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Deyverson comemora gol com Dudu no Palmeiras Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

18/10/2018 14h47

Famoso por protagonizar lances pitorescos, Deyverson já ouviu conselhos de atletas, membros da comissão técnica e até de rivais enquanto defendeu o Palmeiras. Nesta quinta-feira (18), Dudu comentou sobre o estilo do companheiro com bom humor.

O último conselho público veio de Felipão, que recomendou que o atacante tomasse um "chá de maracugina" para acalmar. Agora, foi a vez de o camisa 7 brincar com a situação e cobrar gols como contrapartida.

"Ele é tranquilo. Mas o jogo dele sempre foi esse, ele sempre fez isso. E quando chegou ainda não estava dando certo. Agora, dá certo e está bom. Não só ele, mas todos os jogadores que o Felipe tem colocado estão indo bem. Se for para ele continuar pilhado assim e fazendo gol, está bom. Pode continuar deste jeito", disse entre risos.

Dudu também já se envolveu em polêmicas dentro de campo por conta de seu estilo provocador e, especialmente, por sempre se irritar com árbitros. No início de sua trajetória no Alviverde, inclusive, chegou a ser suspenso por empurrar o juiz em um clássico.

O camisa 7 faz o mea-culpa e admite que precisou trabalhar seu psicológico para não se prejudicar dentro de campo com as explosões.

"Eu sou muito chato por não gostar de perder, por não gostar de jogar mal. Às vezes acontece. Fico chateado. As pessoas falam que eu reclamo muito com juízes, mas estou melhorando. Espero melhorar bem mais do que isso. Mas é tranquilo. Eu vou continuar assim ajudando meus companheiros", afirmou o atacante.

Em busca de mais um título com a camisa alviverde após recusar uma proposta do futebol chinês, Dudu tem prestígio justamente por ter melhorado seu comportamento e por manter bons números em todas as temporadas. Apesar de todo o destaque, ele ainda não quer assumir o rótulo de ídolo.

"Isso eu deixo para a torcida, para outras pessoas. Eu me considero jogador importante para o clube. Aquilo que eu represento de 2015 para cá: faço grandes temporadas e tenho bons números. O resto eu deixo isso para a torcida e as pessoas falarem. Tenho que manter os pés no chão e saber que tenho muita coisa para conquistar", finalizou.

Esporte