PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Felipão celebra sucesso de Dudu no Palmeiras: "Meu filho de 1,10m"

Siga o UOL Esporte no

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

14/10/2018 18h54

O Palmeiras se garantiu na liderança do Campeonato Brasileiro por mais uma rodada ao bater o Grêmio por 2 a 0, neste domingo, no Pacaembu. E apesar dos dois gols terem sido marcados por Deyverson, Dudu saiu como um dos grandes personagens da partida. Afinal, deu a assistência para o centroavante abrir o placar e levantou a torcida com arrancadas no segundo tempo. Nada de novo para o técnico Luiz Felipe Scolari e seu "filho".

"Tenho dois filhos de 1,90m e um de 1,10m, o baixinho (Dudu). Ele era assim no Grêmio, também. Jogava com o Zé Roberto e veio para cá fazer o sucesso que vocês sabem. Ele tem qualidade e não podemos cobrar nada menos que isto. Ele sabe jogar, e com a cabeça boa, tranquilo, dá o que a gente espera", exaltou o comandante do Verdão.

Só não espere ver Felipão endossando o discurso dos torcedores palmeirenses que pedem Dudu na seleção brasileira dirigida por Tite: "Quando eu estava na seleção não gostava de pitaco dos outros, fazia o que eu achava certo. Portanto não me meto sobre isso (risos). Mas ele joga muito bem pelo Palmeiras. Vem correspondendo plenamente, jogando pelos dois lados. Estou satisfeito".

Dudu em ação pelo Palmeiras durante jogo contra o Grêmio - Daniel Vorley/AGIF - Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Scolari ainda fez questão de destacar também o trabalho de Deyverson. Muitas vezes ridicularizado pela torcida no primeiro semestre, quando chegou a ser última opção para centroavante com Roger Machado, o artilheiro ganhou espaço e confiança com desde que a nova era Felipão começou. Ele se firmou como atacante titular na equipe montada para o Brasileirão e já soma sete gols em 19 jogos.

"O Deyverson, se ele tomar uma maracugina antes do jogo, vai muito bem. Duvido que tenha um zagueiro que goste de jogar contra ele. É muito chato, incomoda toda hora, não perde bola por cima. É um jogador que ainda tem de aprender uma ou outra coisa de parte técnica, mas do restante dá ao grupo o que ele precisa em momentos decisivos", ponderou.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Felipão no Pacaembu:

Pedido aos repórteres de televisão

"Queria pedir um favor a vocês da imprensa: não quero atrapalhar o serviço de vocês, mas peço, por favor, que entendam minha participação, também. Tive dois minutos para falar com os jogadores no intervalo, porque falaram sete minutos no intervalo. No próximo jogo vou solicitar para não pararem para vocês, ou não posso fazer minha correção aqui. Quero que entendam, ok?".

Troca de passes do Grêmio gerou dificuldades

"Acredito que tenha sido um dos mais difíceis jogos que enfrentamos. O Grêmio trabalha a bola de forma espetacular, pelo meio-campo a toda hora e bem trabalhada. Precisávamos ter uma linha de marcação que dificultasse isso. Se saíssemos para marcar, como no primeiro tempo, o Grêmio cresceria. O segundo tempo foi taticamente excelente. Enfrentar o Grêmio é difícil, temos de correr pelo Palmeiras, trabalhar pelo Palmeiras todos nós, somos um grupo e corrermos com inteligência, ou então vamos ter um desgaste muito grande. Todos têm feito seu trabalho, todos estão correndo, se dedicando. Quem fica feliz somos nós, do Palmeiras".

Esporte