PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Grêmio fala em indignação e cogita pedir desconvocação de Everton

Meia-atacante é artilheiro do Grêmio na temporada com 16 gols marcados - Guilherme Hahn/AGIF
Meia-atacante é artilheiro do Grêmio na temporada com 16 gols marcados Imagem: Guilherme Hahn/AGIF

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

22/09/2018 12h51

O Grêmio ficou dividido com a segunda convocação de Everton para a seleção brasileira. Chamado por Tite para os amistosos contra Arábia Saudita e Argentina, o meia-atacante vai desfalcar o clube gaúcho no jogo diante do Palmeiras. Os dirigentes gremistas afirmam que um pedido de desconvocação é estudado.

Segundo apurou o UOL Esporte, o Grêmio já tentou a desconvocação de Everton antes. A conversa ocorreu ainda durante o período em que a seleção estava nos Estados Unidos, para os jogos com o time local e El Salvador. A solicitação foi feita quando do aviso de que Everton seria chamado outra vez, fato confirmado na última sexta-feira.

"Ficamos felizes pelo jogador, pelo reconhecimento do trabalho dele e do clube. Mas também tem o outro lado. O que indigna é a diferença de critério. O Grêmio é o único clube que perdeu seu principal jogador no Campeonato Brasileiro. O treinador (Tite) não considerou que o Grêmio disputa vaga na próxima Libertadores e título ainda. A gente fica indignado com isso e estamos estudando com o departamento jurídico, o presidente e o próprio jogador a possibilidade de pedir uma desconvocação", disse Alberto Guerra, diretor de futebol do Grêmio, à Rádio Bandeirantes de Porto Alegre.

Em entrevista coletiva após a convocação para os amistosos de outubro, Tite justificou a ausência de Gabriel Barbosa pela briga do Santos em busca de uma vaga à Libertadores. Aos olhos do Grêmio, o critério não foi respeitado com o chamamento de Everton.

Aos 22 anos, Everton é o artilheiro do Grêmio na temporada e já desfalcou o time de Renato Gaúcho contra Santos e Internacional neste Campeonato Brasileiro em virtude de convocação.

Esporte