PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Atlético-MG sai com gosto de derrota e jogadores falam em dia de azar

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

23/08/2018 22h13

No empate sem gols contra o Vasco, dentro do Independência, o Atlético-MG teve quase 70% da posse de bola, pressionou o adversário na maior parte do tempo e até acertou a trave do goleiro Martín Silva. Apesar da pressão na maior parte do jogo, a equipe mineira não saiu com a vitória e amargou uma igualdade diante do seu torcedor. Após a partida, os jogadores falaram em dia de azar depois de tanto criar e não conseguir balançar as redes.

“A gente poderia ficar aqui até amanhã que a bola não iria entrar. A torcida entendeu o empenho, nós criamos várias oportunidades, mas hoje era um dia de azar, queríamos ter vencido, mas somamos só um ponto. Não foi possível, mas vamos continuar trabalhando para produzir o que produziu hoje e ter um pouco mais de calma e sorte na hora de finalizar”, falou o meia Elias.

Ao todo, o Galo finalizou por 21 vezes, mas somente quatro foram em direção ao gol. Apesar do abafa, o time também foi obrigado a se expor em alguns momentos, e precisou do goleiro Victor em pelo menos duas oportunidades para evitar a derrota em casa. O goleiro também comentou sobre a noite infeliz do sistema ofensivo.

“Se tivéssemos mais 60 minutos em campo o jogo ficaria nesse bate rebate. Lutamos, batalhamos, foi praticamente um jogo de uma equipe só. O Vasco veio com uma proposta de não perder, de jogar nos nossos erros. Mas são coisas do futebol, a bola cismou de não entrar. Mas é esse caminho que temos que seguir para continuar nossa caminhada”, disse o goleiro.

Esporte