PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Chape x Atlético-PR: aeroporto e empresa divergem sobre razão do adiamento

Neblina em Chapecó: condições climáticas atrapalharam voo do Atlético, com divergência sobre as razões - @ChapecoenseReal/Twitter
Neblina em Chapecó: condições climáticas atrapalharam voo do Atlético, com divergência sobre as razões Imagem: @ChapecoenseReal/Twitter

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

23/08/2018 04h00

O adiamento da partida entre Chapecoense e Atlético-PR por conta das condições climáticas em Chapecó, que impediram que o voo do clube paranaense pousasse na cidade catarinense, se tornou um "jogo de empurra" entre a administração do Aeroporto Municipal Serafim Enoss Bertaso e a companhia aérea Sideral, que fretou o voo ao Furacão.

Em nota emitida à imprensa, os responsáveis pelo aeroporto afirmaram que a aeronave não pôde pousar por não ser “homologada para pouso IFR/GNSS (Instrument Flight Rules), conjunto de regras das quais o piloto se utiliza para conduzir uma aeronave orientando-se pelos instrumentos de bordo, em vez de se orientar por referências visuais exteriores a essa aeronave (Global Navigation Satellite System) com a performance baseada em GPS.”

Pouco depois a companhia divulgou carta contestando essa versão. No texto, a Sideral alegou que a aeronave “encontra-se devidamente homologada pela ANAC” e que “quando em condições normais de funcionamento (VOR/DME operantes)” a aeronave consegue pousar em Chapecó, atestando ainda que “sem este importante equipamento de auxílio à navegação aérea (...) ficou instável e inseguro o pouso naquela localidade”.

Em contato com a reportagem, o secretário de Comunicação Social de Chapecó, Fernando Mattos, afirmou que voos da Avianca e da Azul pousaram em horários próximos ao previsto para a chegada do Atlético. O jogo foi adiado para 13 de setembro.

Ainda na terça-feira, o Atlético tentou chegar a Chapecó para o duelo válido pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. A delegação do clube chegou a sobrevoar a cidade catarinense, mas, com o aeroporto de Chapecó fechado, teve de retornar a Curitiba. Um adiamento do jogo foi negociado, mas os clubes acordaram por tentar novo embarque nesta quarta, novamente sem sucesso.

A própria Chapecoense teve dificuldades no retorno de São Paulo para Chapecó, tendo que descer em Porto Alegre e seguir viagem de ônibus para casa, após a derrota para o São Paulo no Morumbi no último domingo.

Com o adiamento do jogo, será o segundo em defasagem para o Atlético em relação à maioria dos times do campeonato. O time não enfrentou o Vasco em jogo que valeria pela 15ª rodada, por conta de conflito de datas com o calendário da Conmebol, em partida que será reposta no dia 28 de agosto, em Curitiba.

Esporte