PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Presidente do Grêmio diz que não pediu para adiar jogos: "Debate maior"

Romildo Bolzan Jr. garante que Grêmio não irá solicitar remarcação de jogos - Lucas Uebel/Grêmio
Romildo Bolzan Jr. garante que Grêmio não irá solicitar remarcação de jogos Imagem: Lucas Uebel/Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

21/08/2018 11h42

O Grêmio não pediu e afirma que não pedirá adiamento dos jogos contra Santos e Internacional, válidos pela 23ª e 24ª rodadas do Brasileirão. Depois de sugerir movimento com demais clubes afetados pela convocação da seleção brasileira, Romildo Bolzan Jr., presidente do time gaúcho, afirma que o debate deve ser mais amplo.

Bolzan se manifestou em reunião na Conmebol, no Paraguai, pedindo ajuda da entidade para ajustar o calendário do futebol brasileiro. A coluna De Primeira do UOL mostrou que a ideia dos clubes é contar com a confederação para reabrir debate com a CBF.

"O debate importante é o calendário, mas o adiamento é o de menos. De menos. A discussão de fundo está na readequação de calendário. Temos que racionalizar o calendário, talvez até com sobreposição, mas com racionalidade", disse Bolzan.

No sábado, logo após o jogo com o Corinthians, o dirigente reabriu o debate sobre a sobreposição de datas no futebol brasileiro. Sugeriu pedido coletivo de adiamento para jogos de times com jogadores convocados. Para o Grêmio, o prejuízo é duplo: Kannemann foi chamado pelo treinador interino da seleção argentina e Everton apareceu na lista de Tite.

"Não estou preocupado em adiar jogo. Não quero criar problema. O Grêmio não vai protocolar nada. Queremos reorganizar tudo, queremos bom senso. Quando a gente está trabalhando esse assunto é algo maior, não é só adiamento", afirmou o presidente do Grêmio.

A CBF também afirma que o Grêmio não fez pedido formal para reagendar suas partidas. Com isso, os jogos diante de Santos e Inter acontecerão nos dias 6 e 9 de setembro, respectivamente. Em ambos os compromissos o time de Renato Gaúcho é visitante.

Esporte