Topo

Esporte


Lucho González supera drama pessoal e dá a volta por cima no Atlético-PR

Lucho em alta: argentino recuperou melhor desempenho após drama pessoal - Cleber Yamaguchi/AGIF
Lucho em alta: argentino recuperou melhor desempenho após drama pessoal Imagem: Cleber Yamaguchi/AGIF

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

21/08/2018 15h34

A virada do ano não poderia ser mais dramática para o argentino Lucho González. Em um período menor que um mês, ele viu seu contrato se encerrar com o Atlético Paranaense e, enquanto organizava a vida para mais uma mudança, viveu uma tempestade em seu relacionamento com a agora ex-esposa, Andreia, que voltou à Portugal, sua terra natal, e acusou o meia de tentativa de homicídio.

Sem direito a ver os filhos e respondendo por um processo, Lucho se viu em um fogo cruzado que o fez parar tudo. O processo, que agora corre em segredo de Justiça, chegou a circular pelas redes. O jogador contava com o testemunho de funcionários para alegar sua inocência enquanto fotos íntimas de Andreia com outro homem se espalhavam pela rede. Os filhos foram para o Conselho Tutelar, em Curitiba, e Lucho então procurou abrigo no ex-clube.

O departamento jurídico do Furacão não se envolveu diretamente, mas indicou profissionais que assumiram o caso. Aos poucos, Lucho recuperou a guarda das crianças e, já separado, passou a retomar a vida. Recebeu uma nova proposta do Atlético, que mudou de ideia quanto à sequência do argentino no clube. Com a experiência de ter defendido Porto, Olympique de Marselha e ser campeão olímpico pela Argentina, Lucho aceitou um contrato temporário. Seu desempenho convenceu a diretoria à prorrogar o contrato de setembro até o final do ano.

Hoje, Lucho é titular do Furacão que tenta reagir na tabela no Brasileirão. Outrora contestado por parte da torcida, já desperta idolatria em muitos atleticanos. Contra o Flamengo, foi eleito pela imprensa especializada local como o melhor em campo. Aos 37 anos, Lucho está em sua terceira temporada pelo Atlético, com 82 jogos e seis gols marcados.

“Eu sempre manifestei que sou um jogador de equipe. Não sou um jogador que faz a diferença sozinho. Acho que o time agora vive um momento bom. A ideia do Fernando era diferente do que é agora do nosso mister. Mas toque o toque, estamos aqui para jogar. O clube sempre me apoiou, nos momentos difíceis. E eu gosto muito mesmo de jogar esse esporte”, contou em entrevista coletiva.

Apesar de ter contado muito com o apoio do ex-técnico Fernando Diniz para seguir no Atlético, Lucho cresceu muito sob o comando de Tiago Nunes, a quem fez elogios: “ele deixou muito claro, quando assumiu, que era uma oportunidade muito grande para ele. E ele deixa muito claras as informações e sobretudo, cada treinador tem suas características. Mas eu vejo nele um treinador apaixonado pelo futebol.”

Nesta quarta-feira (22), às 19h30, o Atlético encara a Chapecoense em Santa Catarina. Uma vitória pode tirar o Furacão da zona de rebaixamento após 10 rodadas. Lucho é cotado para iniciar o jogo, após ser destaque nos 3 a 0 sobre o Flamengo. “Vencer por 3 a 0 não é coisa de todo dia. A gente tinha que desfrutar dessa vitória e não relaxar, conscientes, por ainda não saímos dessa situação. Mas o caminho é esse”, comentou.

Esporte