PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Grêmio vê prejuízo e sugere pedido coletivo de adiamento no Brasileirão

Walter Kannemann (foto) foi chamado para amistosos da Argentina. Everton está na lista de Tite - Lucas Uebel/Grêmio
Walter Kannemann (foto) foi chamado para amistosos da Argentina. Everton está na lista de Tite Imagem: Lucas Uebel/Grêmio

Do UOL, em Porto Alegre

18/08/2018 21h56

O Grêmio vai sugerir à CBF que adie os jogos válidos pela 23ª e 24ª rodada do Brasileirão envolvendo clubes com jogadores convocados para amistosos na chamada data Fifa. A revelação foi feita por Romildo Bolzan Jr., presidente do clube gaúcho, neste sábado (18). A ideia, para o time de Renato Gaúcho, significa mudança nas datas de partidas contra Santos e Internacional.

A ideia já havia sido apresentada pelo Cruzeiro, mas aí de olho na semifinal da Copa do Brasil. O time mineiro enfrenta o Palmeiras.

O Grêmio se sente prejudicado pelas convocações de Kannemann e Everton, chamados pelas seleções argentina e brasileira, respectivamente. Os dois desfalcam o time de Renato Gaúcho em duas rodadas do Brasileirão.

"Isso dá um prejuízo enorme. E pior, nem sei se eles vão jogar (nas seleções). Falei com o Walter Feldman (diretor da CBF), não queremos atrapalhar. Mas vamos encontrar outros clubes e vamos trocar uma ideia. Não vamos reclamar isoladamente, mas de maneira organizada e sem favorecer ninguém… Colocar na mesa uma situação para o ganho esportivo dos clubes não ser prejudicado. O que vale mais a pena? Clubes fortes disputando as competições ou o jogador ser valorizado? Que pelo menos se trabalhe a ideia de suspender a rodada para esses clubes. No caso do Grêmio, tem a data que seria da Copa do Brasil (para realização de jogo eventualmente remarcado)", disse Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio.

O argumento do clube gaúcho é o equilíbrio técnico. Everton é artilheiro do Grêmio na temporada, com 13 gols, e Kannemann é titular absoluto do sistema defensivo.

"Não é o Gre-Nal em si, há o jogo com o Santos. E há dúvida se o jogo será no Pacaembu ou Vila Belmiro. Vou levar sugestão cujo o raciocínio é pelo equilíbrio técnico. Não queremos prejuízo. Seria razoável que os clubes tivessem isso. Apenas esses clubes não jogariam. É pelo equilíbrio do campeonato", comentou Bolzan. "Compreendo a posição, mas isso é uma via de duas mãos e uma partida envolve dois times. Ninguém pode proporcionar desequilíbrio. Compreendo que eles queiram o melhor, mas existem contrapartidas. E isso precisa ser observado. Compreendo o raciocínio da CBF, mas nos deem condições. Não estamos aqui por sermos ungidos. Estamos por sermos competentes", completou o presidente do Grêmio.

Esporte