PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cuca respalda Gabigol e exalta 'força do grupo' após ganhar sem treinar

Do UOL, em São Paulo (SP)

18/08/2018 19h41

Sem seus principais titulares, poupados para a Libertadores, o Santos pôs fim ao jejum no Brasileirão e bateu o Sport por 3 a 0 neste sábado (18), na Vila Belmiro. Sasha, Rodyrgo e Victor Ferraz marcaram os gols para os donos da casa. De olho na Libertadores, o técnico Cuca optou por um time misto e poupou boa parte dos titulares na eliminação para o Cruzeiro na Copa do Brasil. O treinador mandou o time a campo sem conseguir fazer nenhum treino tático, já que a forte chuva que caiu em Santos na sexta alagou o CT Rei Pelé e impediu as atividades. Cuca ficou satisfeito com o desempenho da equipe.

“A vitória mostra a força do grupo, e isso sem nenhum treino. Tivemos consistência e padrão de jogo. No Mineirão, usei Arthur, Renato e Jean Mota, que não entraram hoje. Cada um está tendo suas oportunidades”, avaliou o treinador. “Os jogadores têm que estar bem preparados porque são avaliados pelo que representam dentro de campo. A gente sai fortalecido como grupo acima de tudo, foi uma vitória para recuperar a autoestima e dá moral pro grupo.”

O resultado foi essencial para o Santos no fechamento do primeiro turno. O time saltou do 17º para o 12º lugar e saiu da degola. “Santos é um time que nunca caiu, então estar na zona de rebaixamento é algo que incomoda todo mundo, torcedor, jogador, diretoria. Isso dá um alívio. Mas temos que ter humildade para saber que ainda tem muito chão pela frente.”

Mesmo com o triunfo parcial no primeiro tempo, o Santos não se fechou e continuou partindo para cima do Sport. “A gente podia até fechar a equipe para administrar o resultado, mas era um jogo perigoso. Tiramos volante (Sánchez) para colocar um atacante (Rodrygo) que tabelasse pela direita. Era um jogo perigoso, a gente tinha que fazer o 2 a 0”, afirmou o treinador, se referindo sobre a estratégia que rendeu os gols de Rodrygo e Victor Ferraz nos minutos finais.

Gabigol ganha respaldo, e gringos são elogiados
A partida também mostrou que a diretoria do Santos acertou nas contratações, já que os gringos Derlis González, Bryan Ruiz e Carlos Sánchez foram essenciais na partida mesmo sem nunca ter jogado juntos, como destacou Cuca. Com bons passes, visão de jogo, velocidade e participação em todos os lances de gols, o trio foi elogiado pelo treinador.

"Derlis jogou bem, principalmente no segundo tempo. Participou do gol, teve muita força e atitude durante todo o jogo. Sánchez é o terceiro jogo dele, e Bryan a primeira que inicia. Tem qualidade e visão de jogo. Os três têm isso de sobra”, explicou o comandante, que também mostrou forte apoio a Gabigol, que vinha sendo alvo de críticas da torcida nos últimos jogos e hoje foi bastante aplaudido.

“Foi uma resposta dele para a torcida e da torcida para ele. Está provado que o menino precisa de incentivo, não é mau, não é mascarado, é um cara noraml e tranquilo que precisa ser valorizado. Não tem vergonha de correr pelos outros, não se importa se a bola entra ou não, está mais incomodado com a situação do time”, afirmou Cuca. “Ele precisava disso para poder trabalhar dentro de campo e dar a resposta”.

Questionado sobre possíveis contratações, principalmente a busca de um centroavante, Cuca foi ríspido e falou que está com o elenco fechado. "Estou satisfeito. Não falo mais em contratação. É covardia falar em contratação hoje. Vamos trabalhar. O presidente faça o que ele quiser". É válido lembrar que durante a pausa para a Copa do Mundo, a diretoria foi atrás de alguns nomes para vestir a camisa 9, como Vagner Love, Júnior Brandão e Nicolás Blandí.

De olho no Independiente
Agora, Cuca volta suas atenções para o duelo com o Independiente, marcado para a próxima terça-feira (21), em Avellaneda, válido pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. Com seus titulares descansados e a tranquilidade pela vitória que tirou o time da degola, o técnico falou sobre a preparação para o confronto.

“Vamos estudar certinho o adversário para ver o que podemos fazer dentro do jogo. A gente já viaja amanhã e, como expliquei a todos, o que importa é a força do grupo. Não importa quem vai jogar, precisamos fazer nosso melhor", disse Cuca. 

Esporte