PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Aguirre não vê improviso com Reinaldo na ponta: "Tudo conversado"

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

22/07/2018 00h00

O são Paulo teve uma grande atuação para vencer o Corinthians por 3 a 1 neste sábado, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. O destaque da partida foi o lateral-esquerdo Reinaldo, autor de gols. E, curiosamente, a forma como o defensor foi escalado provocou muitas críticas e desconfiança antes do clássico. O técnico Diego Aguirre bancou a aposta de usar o camisa 14 como ponta esquerda e foi recompensado. Só não fale que foi uma improvisação.

"Não foi. Foi uma coisa falada com o jogador. Gosto de ter conversas individuais para não forçar o jogador a atuar onde não pode. Ele não tem problema em jogar lá. Por isso o escalei. Queríamos controlar e fortalecer o lado esquerdo e deu certo, principalmente para segurar o Fagner e o setor em que o Corinthians tem os melhores circuitos para atacar", explicou o treinador.

O triunfo fez o São Paulo seguir com apenas um ponto a menos do que o líder Flamengo. Já são quatro vitórias consecutivas no Brasileirão. Mas isso não faz com que Aguirre se empolgue. Ele promete ser frio para segurar o ânimo dos atletas e da torcida e lembra que a Copa do Mundo na Rússia deu provas de que favoritismo não joga sozinho.

"Estamos melhorando. Quando perguntaram se a parada da Copa seria bom, eu sempre falava que sim. Peguei o time sem tempo para trabalhar e agora o time está melhor. O trabalho tem que ser visto no campo e, por sorte, isto está acontecendo. Candidato (a título)? Não! Não gosto de falar sobre isso, se você ver a Copa do Mundo quantos favoritos ficaram fora", alerta.

Essa melhora apontada por Aguirre passa pelo equilíbrio entre ataque e defesa e também pelo espírito demonstrado pelo elenco. O técnico admite que tem insistido em colocar um estilo uruguaio, de luta e intensidade, para tentar aprimorar a qualidade dos jogadores.

"Hoje (sábado) fomos bem na hora de recuperar a bola e jogar com ela. Foi um jogo bom. Vamos jogo a jogo e isto está começando. Ainda tem muito campeonato pela frente. A única coisa que temos que pensar é na próxima quinta, contra o Grêmio (em Porto Alegre). Vamos tentar fazer o nosso melhor. Nós uruguaios sentimos o futebol a partir da entrega, do sacrifício, de brigar por cada bola. Os jogadores estão dando o máximo. Me sinto orgulhoso e identificado com eles. Vamos ganhar e vamos perder. O que não pode mudar é a entrega", exalta.

Esporte