PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Por que Felipe Gedoz, contratação mais cara, não joga no Atlético-PR?

Gedoz durante treinamento: investimento alto, poucas atuações - Marco Oliveira/Assessoria de Imprensa CAP
Gedoz durante treinamento: investimento alto, poucas atuações Imagem: Marco Oliveira/Assessoria de Imprensa CAP

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

20/04/2018 12h52

Felipe Gedoz chegou ao Atlético Paranaense com o cartaz de ser a contratação mais cara da Gestão Petraglia. Custando cerca de R$ 5 milhões à época em que chegou do futebol belga, Gedoz é querido pela torcida mas não pelos técnicos que passaram na Baixada desde 2017. Paulo Autuori, Eduardo Baptista, Fabiano Soares e agora Fernando Diniz utilizaram pouco o jogador. Por que, afinal, Felipe Gedoz não joga pelo Atlético?

O UOL Esporte foi ouvir pessoas sobre o que ocorre com o jogador. “Só jogam 11”, disse um interlocutor que pediu para não se identificar por conta da política de comunicação do clube. Apesar das teorias diversas sobre o que ocorre com Gedoz, a resposta mais comum entre todos os ouvidos é também a mais simples: Diniz prefere jogadores com mais mobilidade, que possa se alternar em posições pelo campo; Gedoz é um meia-atacante clássico, de armação e arremate.

Gedoz CAP - Reprodução - Reprodução
Gedoz celebrou a vaga contra o São Paulo no Instagram
Imagem: Reprodução

Sem ser relacionado para viajar com a equipe para os jogos contra São Paulo (Copa do Brasil) e Grêmio (Brasileiro), Gedoz foi treinar normalmente no CT do Caju no dia do jogo. Acompanhou a partida pelas redes sociais, com mensagens de incentivo aos colegas. Recém-casado, Felipe Gedoz viu a esposa perder uma gestação de 4 meses recentemente. Desabafou nas redes, seu meio de contato predileto com os fãs. O casal se manifesta bastante, a ponto de a esposa já ter cobrado o ex-técnico Fabiano Soares por não escalar o jogador.

Gedoz não aceita normalmente a reserva e cobrou Diniz por não ter jogado contra a Chapecoense, quando o Atlético usou vários reservas. O técnico falou rapidamente sobre o tema em entrevista coletiva, citando também outro meia, João Pedro, destaque na campanha do time “B” no Paranaense. “Gedoz e João Pedro nesse momento é uma questão de ordem interna, não tem nada, absolutamente nada de espantoso. Vou guardar e a gente vai resolver internamente”, disse o técnico.

“Tem muita gente na frente dele”, continuou a fonte ouvida pelo UOL Esporte, “O Diniz gosta da mobilidade do Pablo, do Nikão, do Ribamar, do Rossetto, do Guilherme. Tem ainda o Bergson e o Ederson. O Ederson, aliás, é visto como exemplo: jogou pelo time B sem reclamar. Artilheiro do Brasileirão, pô, e topou jogar com o time de baixo. Ganhou muitos pontos”.

Desta vez, porém, pessoas ligadas aos dois lados garantem  - como disse Diniz em coletiva – que não há nenhuma briga entre o jogador e o técnico, diferente do que aconteceu com Baptista, no começo do Brasileiro 2017, e Fabiano Soares, já no final. Gedoz quer jogar e não concorda com a reserva; Diniz vê outros jogadores como “mais úteis” em seu sistema de jogo. Aos 24 anos, Gedoz tem 33 jogos e 9 gols com a camisa atleticana, 1 deles nos três jogos que fez em 2018.

No último ano, Felipe Gedoz perdeu peso e mudou a rotina de vida. Casado, deixou de frequentar festas e rompeu com um antigo amigo, que descobriu depois ter deixado dívidas em seu nome. Sem jogar, Gedoz pediu para se transferir para o México, de onde garantiu ter uma proposta, sem revelar o clube; repassou também à diretoria um suposto interesse do Grêmio, que não avançou. Ficou por ser um investimento feito pelo próprio Mario Petraglia, que acreditou no jogador. Gedoz assinou contrato com o Atlético por três anos, até o final de 2019.

Petraglia é muito cobrado pelo desempenho de Felipe Gedoz. O presidente do conselho deliberativo era um crítico ferrenho de Santiago “El Morro” Garcia, contratação da gestão Marcos Malucelli, seu desafeto pessoal, e a mais cara da história do clube, cerca de R$ 7 milhões. Petraglia articulou o banimento de Malucelli dos quadros associativos por “gestão financeira temerária”, citando o jogador, que atualmente está no Godoy Cruz, da Argentina, e é o artilheiro do Campeonato Argentino.

Esporte