PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Condenação na Itália não deve impedir renovação de Robinho com Atlético-MG

Robinho deseja permanecer no Atlético-MG por mais uma temporada - Bruno Cantini/Atlético-MG
Robinho deseja permanecer no Atlético-MG por mais uma temporada Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

24/11/2017 04h00

Um dos grandes nomes do elenco do Atlético-MG, Robinho fica sem contrato com o clube mineiro no fim de 2017. O atacante já manifestou publicamente o interesse de permanecer na Cidade do Galo por pelo menos mais uma temporada e aguarda contato oficial do clube, que vive processo eleitoral. Neste contexto, o problema judicial de Robinho na Itália não deve incomodar a cúpula alvinegra. Para os dirigentes, a condenação em primeira instância por violência sexual é um fato pessoal e não impedirá o atacante de seguir na Cidade do Galo no ano que vem.

Embora não tenha se pronunciado, o Atlético mantém apoio ao atleta, que é tido como uma das peças cruciais para a próxima temporada. Aos 33, o Rei das Pedaladas foi condenado a nove anos de prisão pela justiça italiana por "violência sexual em grupo" na Itália em 2013, quando defendia o Milan. A decisão foi em primeira instância e o jogador brasileiro pode recorrer em liberdade.

A decisão da última quinta jogou holofotes em cima do jogador, que viveu um dia movimenta no CT do Galo, com direito a helicóptero da Record sobrevoando o treinamento. Jogador e clube, para todos os efeitos, seguem focados no trabalho. O desejo do estafe do jogador é que o desfecho da negociação seja o mais rápido possível, como apurou o UOL Esporte. Sua represente, no entanto, sequer foi procurada oficialmente pela diretoria atleticana para tratar da renovação. Como o Galo vai ter um novo presidente em breve, essa conversa pode demorar a acontecer.

A vontade é tudo esteja resolvido até o dia 11 do próximo mês, quando o Conselho Deliberativo do Atlético vai escolher o presidente para o triênio 2018/2020. Sérgio Sette Câmara é o candidato da situação e o favorito para vencer o pleito, que vai ter Fabiano Lopes Ferreira como candidato da oposição.

Robinho não esconde que sua vontade é seguir morando em Belo Horizonte. Inclusive, o pedido da família do atleta é para que o contrato com o Atlético seja renovado por pelo menos mais uma temporada.

“Com certeza a minha vontade é de permanecer. Muito feliz de completar essa marca de 100 jogos, ainda mais em um futebol tão competitivo. É um motivo de muita alegria. Agradeço ao presidente, à diretoria e aos jogadores. Vou guardar com carinho a camisa, fazer um quadro e deixar lá em casa”, disse o atacante atleticano, logo após completar 100 jogos pelo clube e receber uma placa e uma camisa pela marca alcançada.

Apesar de depender do resultado da eleição para assumir o cargo de presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara já tem trabalhado visando a próxima temporada. O candidato já definiu que Alexandre Gallo será o diretor de futebol do clube, caso seja eleito na primeira quinzena do próximo mês. 

O próximo diretor de futebol do Atlético já tem trabalhado nos bastidores na montagem da equipe para 2018. A tendência é que, nos próximos dias, inicie as conversas para tentar a renovação de contrato de Robinho.

Conversas informais deixam as partes confiantes

Apesar de não ter feito nenhuma proposta oficial pela renovação de Robinho, o Atlético já sinalizou para o atacante que o desejo é que ele siga na Cidade do Galo. Até pouco tempo atrás, a decisão estava fora de cogitação, já que o camisa 7 fazia uma temporada muito abaixo e sequer era titular com o técnico Rogério Micale. Tudo mudou desde a chegada de Oswaldo de Oliveira, já que Robinho voltou a ser decisivo, fazendo gols e com boas atuações.

Neste momento, as duas partes se mostram confiantes na renovação de contrato. Mesmo sem proposta oficial, o Atlético gostou da postura de Robinho e de sua advogada, Marisa Alija. Já o jogador está feliz em Belo Horizonte, quer seguir na capital mineira e está animado com a possibilidade de renovar o contrato.

Cláusula que dá preferência ao Galo não será usada

O Santos quer Robinho. Assim como foi em 2016, o clube que revelou o atacante deve ser o grande concorrente do Atlético. Há dois anos, o Galo contou com o suporte da Dry World. A empresa canadense, que havia se tornado fornecedora de material esportivo do clube mineiro, pagaria um bônus semestral ao jogador. Posteriormente, a quantia foi arcada pelo próprio Atlético, que teve problemas com a Dry World. A empresa não é mais parceira do clube e ainda deve cerca de R$ 7 milhões.

Em fevereiro de 2016, quando assinou contrato, Robinho queria um vínculo por três temporadas. O Atlético fechou por duas, com opção de renovação por mais uma. Para exercer essa opção, basta ao Galo optar por manter os vencimentos do atacante nos valores atuais. Entre salários, bônus e encargos, Robinho custa perto de R$ 1 milhão por mês ao clube, valor que está descartado entre os diretores atleticanos. A renovação de contrato só vai acontecer se o camisa 7, de fato, aceitar abaixar os salários, como declarou que topa fazer.

“Aceitaria sim. Quando há interesse de ambas as partes é só conversar e sentar. Não há dificuldade nenhuma”, disse Robinho, que em quase dois anos de Atlético disputou 107 partidas e já marcou 36 gols.

Esporte