PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Carinho dos torcedores e helicóptero no CT. O dia de Robinho no Atlético-MG

Robinho treinou normalmente no Atlético-MG - Bruno Cantini/Atlético-MG
Robinho treinou normalmente no Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

23/11/2017 19h13

Cerca de duas horas antes de começar o treinamento do Atlético-MG, nesta quinta-feira, saiu a notícia da condenação do atacante Robinho. O jogador foi condenado a nove anos de prisão, pela justiça italiana, por "violência sexual em grupo" contra uma jovem albanesa em uma boate da capital da Lombardia em janeiro de 2013, durante a sua passagem pelo Milan, da Itália. Acusações que o jogador nega.

O fato é que a condenação de Robinho mudou o dia na Cidade do Galo. O atacante foi o centro das atenções. Equipes de reportagem que não fazem a cobertura diária de futebol estiveram no Centro de Treinamento do Atlético. Até um helicóptero da Record sobrevoou o local, para fazer imagens do atacante, enquanto ele estava em campo.

Robinho foi em silêncio para o gramado e assim permaneceu durante o dia. Na saída do treino, o jogador foi cercado por muitas crianças, que queriam abraçar, pegar um autógrafo e tirar uma foto com o ídolo. O dia foi de visita no CT atleticano. Mais de 70 crianças do projeto Vibrante Mirim, da Escola Municipal do bairro Palmeiras, de Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Como Robinho não falou com a imprensa, coube a companheiros de clube revelarem como foi a conversa com o jogador. O zagueiro Gabriel e o meia Cazares estiveram na sala da imprensa e comentaram como foi a reação após a notícia da condenação.

“A gente conversou sim. É muito ruim, sem ter feito nada. Mas isso ficou no passado, não vai interferir em nada no jogo de domingo”, contou Gabriel. O equatoriano Cazares também foi na mesma linha.

“Ele falou que isso é mentira”, resumiu o companheiro de Robinho.

Esporte