PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Debaixo de muita chuva, Chape vira sobre o Vitória e se garante na elite

David, atacante do Vitória, tenta a finalização na partida contra a Chapecoense, na Arena Condá - Liamara Polli/AGIF - Liamara Polli/AGIF
Imagem: Liamara Polli/AGIF

Do UOL, em Santos (SP)

16/11/2017 21h55

A Chapecoense está garantida na elite do futebol brasileiro para 2018. A permanência na Série A foi cravada na noite desta quinta-feira (16) com o triunfo de virada sobre o Vitória, por 2 a 1, na Arena Condá, debaixo de muita chuva em Chapecó.

Com o resultado, a Chapecoense chega aos 47 pontos e escapa matematicamente do rebaixamento por conta da derrota do Sport, que estacionou nos 36 – e pelo fato de Vitória e Ponte Preta, ambos com 39, ainda se enfrentarem (na 37ª rodada). Veja a tabela

Com a permanência garantida, a Chape - que vive um ano de reestruturação após a tragédia em novembro de 2016 - agora passa até a sonhar com uma vaga para a Libertadores. A distância para o Flamengo, primeiro time do G-7, é de três pontos.

O Vitória segue sua luta contra o rebaixamento no domingo (19), quando recebe o Cruzeiro no Barradão, às 17h. A Chapecoense entra em campo no mesmo dia e horário para visitar o Atlético-GO no Serra Dourada. Os dois jogos são válidos pela 36ª rodada da Série A.

VITÓRIA APROVEITA FALHA FEIA DA CHAPE, QUE LOGO RESPONDE

O primeiro gol da partida saiu após uma falha feia de Jandrei. O goleiro da Chape saiu jogando errado e mandou a bola nos pés do atacante David, que invadiu a área, passou fácil pela marcação e finalizou rasteiro no canto. "Foi um erro meu. São coisas que acontecem. Não foi a primeira vez nem vai ser última", disse ao microfone do Premiere na saída para o intervalo. A resposta da Chapecoense veio logo depois em uma cobrança de escanteio; Arthur Caíke apareceu na primeira trave e desviou de cabeça.

DRENAGEM DA ARENA DÁ CONTA DO RECADO. POR UM TEMPO...

A chuva começou a cair forte na Arena Condá a partir da metade da etapa inicial, e não deu mais trégua. Seguiu intensa no segundo tempo e o jogo só não se transformou em um ‘festival de balões’ porque a drenagem do estádio se mostrou bastante eficiente em um primeiro momento. Porém, com o passar do segundo tempo, as poças d’água começaram a se formar e prejudicou o duelo.

TORCIDA PEDE GOL, MAS ARBITRAGEM ANULA GOL POLÊMICO

O gol da vitória da Chape poderia ter saído aos 25min da etapa final, não fosse um gol anulado pela arbitragem de forma bastante polêmica. Após cobrança de falta, Amaral tentou desviar de cabeça, a bola bateu em Arthur Caíke e sobrou para Douglas, que finalizou para as redes. O assistente anulou o gol ao entender que a bola pegou na cabeça de Amaral antes de chegar a Artur, que estava em posição de impedimento. Mesmo com o replay do Premiere, ficou a dúvida se a bola realmente tocou na cabeça de Amaral. A torcida presente no estádio pediu gol enquanto Daronco conversava com o assistente, mas o árbitro manteve a decisão.

TULIO DE MELO ENTRA E GARANTE VITÓRIA DA CHAPE

Túlio de Melo precisou de apenas dez minutos em campo para marcar o gol que acabou sendo o da vitória da Chape. Reinaldo cobrou falta, Fernando Miguel deu rebote e o atacante, de cabeça, mandou para as redes.

EMOÇÃO NO REENCONTRO ENTRE CHAPECOENSE E VÁGNER MANCINI

O jogo marcou o reencontro de Vágner Mancini com a Chapecoense. O técnico, que participou da reconstrução do clube após o acidente e comandou a Chape entre dezembro de 2016 e julho deste ano, foi bastante aplaudido pelos torcedores e chegou a se emocionar antes da partida. “Vivi um momento hoje aqui muito emocionante. O abraço dos atletas... O mais importante é que a gente deixou um legado”, disse antes do apito inicial em entrevista ao Premiere.

CHAPECOENSE 2 x 1 VITÓRIA

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 16/11/2017 (quinta-feira)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Júnior (RS)
Cartões amarelos: Wellington Paulista (Chapecoense); Uillian Correia, Caíque Sá e Wallace (Vitória)
Gols: David, aos 19min, Arthur Caike, aos 24 min do primeiro tempo; Túlio de Melo, aos 32min do segundo tempo

CHAPECOENSE
Jandrei; Apodi (Luiz Otávio), Douglas, Fabricio Bruno e Reinaldo; Amaral e Moisés Ribeiro; Luiz Antonio, Canteros (João Pedro) e Arthur Caike; Wellington Paulista (Túlio de Melo)
Técnico: Gilson Kleina

VITÓRIA
Fernando Miguel; Patric, Ramon, Wallace e Geferson; Uillian Correia (René) e José Welison (Alan Costa); Yago, Caique Sá (André Lima) e David; Tréllez
Técnico: Vagner Mancini

Esporte