PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Nem o Palmeiras segura o líder: Arana decide, e Corinthians cala o Allianz

 cássio - Daniel Vorley/AGIF - Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Danilo Lavieri e Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

12/07/2017 23h40

O Corinthians segue imbatível neste Campeonato Brasileiro e reafirmou essa condição na casa do maior rival. O time de Fábio Carille venceu o Palmeiras por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque, e abriu 16 pontos de vantagem sobre a equipe alviverde. Jadson, de pênalti, e Guilherme Arana marcaram os gols do dérbi. O lateral esquerdo da base corintiana foi o grande nome do jogo. 

Com mais uma vitória no Brasileirão - a 11ª em 13 rodadas -, o Corinthians já soma 35 pontos, contra 19 do Palmeiras. O time alvinegro, agora, lidera a competição com 12 pontos de vantagem sobre o Santos, o segundo colocado. O Flamengo, que enfrenta o Grêmio em casa nesta quinta, pode reassumir a segunda colocação - se vencer, vai a 26 pontos.

Na próxima rodada, o Palmeiras volta a atuar no Allianz Parque. O time de Cuca recebe o Vitória no domingo às 11h. O Corinthians, por sua vez, entra em campo no sábado. A equipe de Carille enfrentará o Atlético-PR na Arena, em Itaquera.

O melhor: Arana

Com menos posse de bola e atuando com marcação cerrada no campo de defesa, o Corinthians conseguiu surpreender o Palmeiras na base dos toques rápidos. Pela esquerda, criou a jogada que resultou no pênalti marcado pelo árbitro Leandro Pedro Vuaden. Romero tocou na área e Guilherme Arana foi derrubado pelo volante Bruno Henrique. Na cobrança, Jadson deslocou Prass e fez 1 a 0.

Palmeiras responde com chute de longe

Depois de sair atrás no placar, o Palmeiras seguiu dominando a posse de bola e com dificuldades de passar a linha de marcação alvinegra. As alternativas eram as bolas alçadas na área. Bruno Henrique, que cometeu o pênalti, foi o primeiro a querer mudar isso e quase acertou um golaço chutando de longe. A bola passou raspando o ângulo direito de Cássio.

Foi pênalti?

O Palmeiras reclamou bastante de um lance de bate-rebate na área. Dudu chutou cruzado, a bola desviou no pé de Pablo e, em seguida, bateu no braço de Balbuena. O estádio e todos os jogadores alviverdes pediram pênalti instantaneamente, mas Vuaden mandou seguir.

Cuca enche Palmeiras de atacantes e pressiona na base do chuveirinho

Cuca - Daniel Vorley/AGIF - Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Atrás no placar, o Palmeiras manteve a pressão, com muita presença no campo de ataque. Bem marcado, restava ao time alviverde a bola alçada na área. No melhor lance, Edu Dracena cabeceou e Cássio salvou o gol no pé de Thiago Santos. No rebote, Róger Guedes foi travado por Fagner. Ao todo, segundo o Footstats, foram 50 cruzamentos em 90 minutos. 

Depois do intervalo, Cuca fez várias mexidas. Acionou Borja, que teve mais uma atuação muito ruim, e fez uma inédita tentativa por Roger Guedes na lateral direita. Ainda recorreu a Keno e tirou Thiago Santos e terminou com Mina na área para tentar vencer pelo alto. Nada funcionou para o Palmeiras. 

Corinthians teve contra-ataque a favor e matou o clássico

Pressionado, o Corinthians criou algumas chances no contra-ataque, quase sempre puxados por Rodriguinho, Jadson e Romero. Na jogada mais perigosa do primeiro tempo, Jô foi lançado pela direita, invadiu a área, mas optou pelo passe no meio da área em vez da finalização e desperdiçou. Após o intervalo, o Palmeiras conseguiu ser mais efetivo em matar os contragolpes, mas uma só escapada foi fatal. Romero deu lindo passe para Arana fazer o segundo em Prass. 

Zaga corintiana se segura, e Pablo é destaque

Bombardeado pelo Palmeiras após o time visitante abrir o placar, o Corinthians mostrou mais uma vez a conhecida solidez defensiva. Nesse cenário, Pablo destacou-se. Seguro, o jogador corintiano conseguiu afastar as bolas pelo alto e pelo chão, um desempenho muito similar ao de todos os colegas do organizado e bem posicionado sistema defensivo. 

Cotado na seleção, Cássio fecha o gol sob os olhares de Taffarel

Depois de acompanhar treinamentos no Santos, terça-feira, e no Corinthians, no dia anterior, o preparador de goleiros da seleção brasileira foi ao Allianz Parque provavelmente para analisar o desempenho de Cássio mais de perto. O goleiro corintiano foi destaque, com ótimas defesas e boa saída de gols. Além disso, vale lembrar que o palmeirense Fernando Prass agrada Tite, mas não vive seu melhor momento.

Torcida do Palmeiras pega no pé de Gabriel

O volante do Corinthians voltou ao Allianz Parque pela primeira vez depois que foi negociado com o clube alvinegro. Os torcedores presentes ao estádio começaram a pegar no pé do jogador na escalação - Gabriel, de longe, foi o mais vaiado. Em campo, o jogador chegou a se desentender com Dudu, seu ex-companheiro.

Thiago Santos de um lado e Rodriguinho e Arana: todos suspensos

Corinthians e Palmeiras terminaram o dérbi cientes de dois desfalques para os confrontos do final de semana. Depois de se estranharem e discutirem no gramado durante a primeira etapa, o palmeirense Thiago Santos e corintiano Rodriguinho receberam cartões amarelos e estão fora dos duelos contra Vitória (domingo) e Atlético-PR (sábado), respectivamente. A exemplo deles, Guilherme Arana também não poderá jogar no fim de semana. 

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 x 2 CORINTHIANS

Data: 12 de julho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Público e renda: 39.091 torcedores e R$ 2.744.600,04
Competição: Campeonato Brasileiro (13ª rodada)
Árbitro: Leandro Vuaden (CBF-RS)
Auxiliares: Jose Eduardo Calza e Mauricio Coelho Silva Penna (ambos RS)
Cartões amarelos: Thiago Santos, Borja e Dudu (Palmeiras); Rodriguinho, Arana, Cássio e Jadson (Corinthians)

Gols: Jadson, aos 22 minutos do primeiro tempo, e Guilherme Arana, aos 19 minutos do segundo tempo.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Tchê Tchê, Yerry Mina, Edu Dracena e Egídio (Zé Roberto); Thiago Santos (Keno), Bruno Henrique (Borja) e Alejandro Guerra; Roger Guedes, Willian e Dudu. Técnico: Cuca.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo (Pedro Henrique) e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon, Jadson (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho (Camacho) e Romero; Jô. Técnico: Fábio Carille

Esporte