PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Vitória brigou para não cair até o fim. Mesmo assim, teve 5º melhor ataque

Jogadores do Vitória comemoram o gol de Marinho contra o Coritiba - Jason Silva/AGIF
Jogadores do Vitória comemoram o gol de Marinho contra o Coritiba Imagem: Jason Silva/AGIF

Do UOL, em São Paulo

13/12/2016 12h47

É difícil imaginar que um time com o quinto melhor ataque do campeonato brigue para não ser rebaixado até a última rodada. Pois foi o que aconteceu com o Vitória neste Campeonato Brasileiro, que confirmou sua permanência na elite apenas no último domingo.

O time baiano só não teve ataque superior ao dos quatro primeiros colocados da Série A: Palmeiras (62), Santos (59), Flamengo (52) e Atlético-MG (61). Fora isso, marcou mais gols que todos os outros 15 times; foram 51 no total, em 38 jogos, uma média de 1,34 gol por partida.

Desses 51 gols, quase metade (25) veio do trio de ataque formado por Marinho (12), Kieza (9) e Zé Love (4), contratados neste ano pela diretoria do Vitória.

Dentre os três, o caso de Marinho é o mais complicado. Por conta do ótimo desempenho na reta final do Brasileiro, o atacante vem sendo procurado por outros clubes, entre eles o Flamengo, e ainda não tem permanência na Toca do Leão garantida para 2017.

Já Kieza, com contrato até o fim de 2019, deve permanecer, enquanto Zé Love, com vínculo a ser encerrado neste ano, diz querer ficar na Toca do Leão e já negocia com a diretoria.

Esporte