PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Roger Waters pede que músicos do Super Bowl repitam protesto de Kaepernick

Colin Kaepernick (à direita) se ajoelhou durante hino em protesto referente a questões raciais nos EUA - Mike McCarn/AP
Colin Kaepernick (à direita) se ajoelhou durante hino em protesto referente a questões raciais nos EUA Imagem: Mike McCarn/AP

Do UOL, em São Paulo

01/02/2019 16h55

Roger Waters, ex-baixista da banda Pink Floyd, publicou nesta quinta-feira (31) uma mensagem em suas redes sociais para tentar convencer a banda Maroon 5, responsável pelo show do intervalo do Super Bowl de 2019, a se ajoelhar no palco. A banda se apresentará com os rappers Big Boi e Travis Scott durante o jogo do próximo domingo (3) entre New England Patriots e Los Angeles Rams, no Mercedes-Benz Stadium, em Atlanta.

O gesto repetiria uma manifestação do quarterback Colin Kaepernick, que defendeu o San Francisco 49ers entre 2011 e 2016. Kaepernick está sem time desde que se ajoelhou em campo durante a execução do hino nacional dos EUA em protesto referente a questões raciais no país.

"Peço que eles se ajoelhem no palco", escreveu Waters. A mensagem é acompanhada de um vídeo registrado em 24 de setembro de 2017; na ocasião, após um show na cidade norte-americana de Hartford, o músico também se ajoelhou em apoio a Kaepernick, recebendo aprovação do público.

"Peço que o façam em solidariedade a Colin Kaepernick, a cada criança morta nestas ruas violentas, a cada pai ou mãe ou irmão ou irmã em luto", acrescentou.

Segundo a revista US Weekly, a cantora Rihanna seria a responsável pelo show do intervalo no Super Bowl de 2019, mas recusou em apoio a Kaepernick. "Eles fizeram a oferta a ela, mas ela disse que não por causa da controvérsia da ajoelhada", afirmou uma fonte à revista em outubro.

Confira a cara completa de Roger Waters:

Esta é a minha banda se ajoelhando no fim de um concerto em Hartford, Connecticut, no domingo, dia 24 de setembro de 2017. Fizemos isso em solidariedade ao gesto de protesto do ex-quarterback do San Francisco 49ers Colin Kaepernick contra o racismo endêmico e contra muitas vezes a força letal dos departamentos de polícia nesta terra. Era o terceiro domingo do locaute da NFL contra Kaepernick. A mensagem era clara: 'cale a sua boca, garoto'. 

No próximo domingo será o 36º domingo que ele está fora do nosso esporte nacional. Esta não é uma vitória da NFL, é uma derrota: você tirou dos fãs em todos os lugares o prazer e a honra de assistir a um dos grandes quarterbacks que já atuaram neste jogo. Vocês mostraram sua verdadeira cor. Vocês podem se sentar em suas salas de reuniões, fumar seus charutos nas salas de vidro, mas suas ações são uma cutucada no olho de tudo o que é decente na América.

Colin Kaepernick é um herói dos Estados Unidos. Se os Estados Unidos quiserem ter um futuro, serão Colin Kaepernicks que vão liderar o mundo; de fato é Colin Kaepernick quem está liderando vocês agora.

Meus colegas do Maroon 5, Travis Scott e Big Boi vão estar se apresentando durante o show do intervalo no Super Bowl, marcado para este domingo. Eu convido-os a se ajoelhar no palco. Eu convido-os a serem solidários a Colin Kaepernick, que fez isso por todas as crianças assassinadas por estas ruas, por todas as mães, pais e irmãos e irmãs em luto neste país.

Minha mãe costumava dizer para mim: "em qualquer situação há quase sempre uma coisa certa a se fazer, só faça". Então, lá vão vocês, meus irmãos; vocês têm a chance, não estou dizendo que será fácil, pois todos os homens do presidente e todos que bufam ficarão irritados, mas convido-os porque será a coisa certa a se fazer e em algum lugar aí dentro vocês sabem que sim.

Com amor, 
Roger Waters

Esporte